Temor no Japão pressiona e grãos fecham no limite de baixa

Publicado em 15/03/2011 17:03 888 exibições
Os futuros dos grãos encerraram no limite de baixa em Chicago nesta terça-feira. A forte pressão continua vindo da tragédia que devastou o japão no último dia 11. A situação no país se agrava com o risco de contaminação radioativa por conta das explosões dos reatores da Usina de Fukushima.

O temor que ronda a nação asiática atinge os mercado financeiros japonês e internacional e provoca uma queda generalizada nas commodities. Segundo o professor de economia Alcides Leite, da Trevisan Escola de Negócios explica que o mercado é muito sensível a esse tipo de informações, o que causa uma elevação da aversão ao risco e uma fuga dos investidores para ativos menos instáveis do que as commodities.

Leite diz ainda que esse pânico geral no mercado é reflexo de uma antecipação de determinada situação. "O mercado antecipa uma situação negativa e precifica".

No entanto, o professor esclarece ainda que apesar de se tratar de um problema pontual e que deve deixar o mercado assim que solucionado, não há previsões de quando o Japão conseguirá conter o temor da radiação. Sendo assim, enfatiza que os preços podem se recuperar desse impacto, porém, isso pode acontecer em 3 dias ou pode levar um semestre todo.

Diante desse cenário, de crise no Japão aliada à crise nos países árabes, o momento é de preocupação para as commodities agrícolas, já que a catástrofe no Japão e mais a guerra civil em nações como a Líbia e a Árabia Saudita comprometem e geram incertezas sobre o crescimento da economia mundial.

Hoje, o Japão é o principal comprador de milho dos Estados Unidos, o terceiro maior de soja e o quinto maior de milho. Os embarques em diversos portos da costa leste como o de Kashima foram interrompidos por conta da falta de energia.

Veja no link abaixo a entrevista na íntegra do professor Alcides Leite sobre a relação entre o terremoto no Japão e a queda das commodities:

>> Entrevista com Alcides Leite, professor de economia

Veja como ficaram as cotações no fechamento desta terça-feira:

>> SOJA

>> MILHO

>> TRIGO

Tags:
Por:
Carla Mendes
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário