Ampasul mensurou perdas de algodão no processo de colheita e detectou melhor controle do bicudo

Publicado em 20/08/2020 13:20 62 exibições

No último levantamento da Ampasul em 12/08 a colheita do algodão em Mato Grosso do Sul chegou a 98,4% da área colhida , sendo que  a produtividade na modalidade 1ª época alcançou [email protected]/ha.  e na 2ª época 235,[email protected]/ha, chegando até a data da consulta na média de 302,[email protected]/há. Neste ano os cotonicultores cultivaram um total de 31.640 hectares, mantendo essa média o estado deverá produzir nesta safra 57.426 toneladas de pluma.

Entre as várias pragas que atacam o algodão, o bicudo continua sendo a principal, responsável pelo maior número de aplicações específicas e desenvolvimento das técnicas para o seu controle. Existe um compromisso assinado entre os produtores, técnicos e instituições para cumprimento de ações de controle da praga, que vem permitindo a continuidade da produção.

Neste ano agrícola que se encerra, segundo a Ampasul, conseguiu-se diminuir a incidência do bicudo com praticamente o mesmo número de aplicações específicas para a praga. Agora a Ampasul realiza o armadilhamento das lavouras para o monitoramento do bicudo durante a entressafra, mais uma  estratégia de controle fitossanitário para a praga na próxima safra.

A Ampasul realizou mais um trabalho importante para os produtores, mensurando a perda de algodão durante a colheita, na lavoura, a partir de diferentes modelos de colheitadeiras, cultivares e produção dos fardos. Esse trabalho é importante para que o produtor venha melhorar as regulagens de suas colhedoras e planejar a aquisição e melhoramento de suas máquinas, equipamentos e escolha de variedades para a próxima safra.

Veja o Informativo do Programa Fitossanitário, com todos os detalhes da reta final da colheita do algodão deste ano.

Tags:
Fonte:
Ampasul

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário