Abate bovino foi recorde para um 1º trimestre na série histórica

Publicado em 26/06/2014 10:52 440 exibições

No 1º trimestre de 2014, foram abatidas 8,4 milhões de cabeças de bovinos, valor foi 5,9% menor que o recorde alcançado no trimestre anterior (8,9 milhões de cabeças) e 2,9% superior ao registrado no 1º trimestre de 2013 (8,1 milhões de cabeças). Nos comparativos anuais dos mesmos trimestres, o 1º trimestre de 2014 é o décimo consecutivo em que se tem observado aumento da quantidade de bovinos abatidos, registrando recorde entre os primeiros trimestres.

Este também é o décimo trimestre consecutivo em que se tem observado aumento da produção de carcaças bovinas, sendo também recorde entre os primeiros trimestres. Foi produzido um total de 2,0 milhões de toneladas de carcaças bovinas, valor 2,8% maior que o mesmo trimestre de 2013 e 8,7% menor que o registrado no trimestre imediatamente anterior.

Houve incremento de 238,9 mil cabeças bovinas abatidas no 1º trimestre de 2014, comparativamente ao mesmo período do ano anterior, com destaque para Minas Gerais (mais 122,2 mil cabeças), Goiás (102,6 mil) e Pará (63,9 mil). Mato Grosso continuou na liderança nacional do abate de bovinos, apesar da queda de 3,4% da quantidade de cabeças abatidas no mesmo comparativo. Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Goiás ocuparam as três primeiras posições no trimestre, respondendo juntos por 38,9% do abate nacional de bovinos.

Abate de frangos foi o maior na série histórica para um 1º trimestre

No 1° trimestre de 2014 foram abatidos 1,4 bilhão de cabeças de frangos, melhor desempenho entre os primeiros trimestres desde que a pesquisa foi criada em 1997. Esse resultado significou queda de 1,7% em relação ao trimestre imediatamente anterior e aumento de 5,5% na comparação com o mesmo período de 2013. O peso acumulado das carcaças foi de 3,2 milhões de toneladas no 1° trimestre de 2014, representando aumentos de 0,5% em relação ao trimestre imediatamente anterior e de 11,7% frente ao mesmo período de 2013.

Os resultados registrados no 1° trimestre de 2014 apresentaram, na comparação com o mesmo trimestre de 2013, aumento da participação da região Sul no agregado nacional de 59,7% para 61,5%. O crescimento da região Sul (8,6%) foi resultado do aumento no número de cabeças de frangos abatidas no Paraná (mais 30,5 milhões de cabeças), no Rio Grande do Sul (23,4 milhões) e em Santa Catarina (13,8 milhões). Paraná foi o principal estado no ranking brasileiro.

Abate de suínos tem queda de 1,4% sobre o 1º trimestre de 2013

No 1° trimestre de 2014 foram abatidas 8,7 milhões de cabeças de suínos, representando quedas de 3,6% em relação ao trimestre imediatamente anterior e de 1,4% na comparação com o mesmo período de 2013. No comparativo anual entre os primeiros trimestres, o resultado deste trimestre interrompeu uma sequência de variação positiva do abate iniciada em 2004.

O peso acumulado das carcaças no trimestre alcançou 747,6 mil toneladas, representando quedas de 1,2% em relação ao trimestre imediatamente anterior e de 0,5% frente ao mesmo período de 2013.

O Sul do país respondeu por 65,1% do abate nacional de suínos no 1º trimestre de 2014, seguida pelas regiões Sudeste (18,8%), Centro-Oeste (14,8%), Nordeste (1,2%) e Norte (0,1%). No comparativo entre os 1° trimestres de 2014 e 2013, a região Sul apresentou queda (-0,1%) na sua participação e variação negativa (-1,7%) no volume abatido. Paraná e Rio Grande do Sul conjuntamente reduziram o abate de suínos num volume superior ao aumento ocorrido em Santa Catarina. A região Sudeste aumentou sua participação em 0,7%, enquanto a Centro-Oeste reduziu em 0,6%. Santa Catarina, Rio Grande do Sul e Paraná lideraram, nesta ordem, o ranking nacional.

Aquisição de leite tem aumento de 8,9% em relação ao 1º trimestre de 2013

No 1º trimestre de 2014 foram adquiridos, pelas indústrias processadoras de leite, 6,2 bilhões de litros do produto, indicativo de aumento de 8,9% sobre o 1º trimestre de 2013 e queda de 5,5% sobre o 4º trimestre de 2013. A industrialização, por sua vez, foi de 6,7 bilhões de litros, representando 8,9% de aumento sobre o mesmo período de 2013 e queda de 5,2% sobre o 4º trimestre de 2013. Em termos de participação na produção, 92,9% da aquisição de leite foram feitos por estabelecimentos com inspeção federal, 6,3% por estabelecimentos estaduais e o restante por estabelecimentos sob inspeção municipal.

A região Sudeste foi responsável por 41,4% da aquisição nacional de leite no trimestre, o Sul por 33,8% e o Centro-Oeste por 14,7%. O Norte e Nordeste participaram com 5,0% cada um. Em comparação com o 1º trimestre de 2013, houve ganho de participação das regiões Sudeste, Nordeste e Centro-Oeste, enquanto as demais apresentaram redução.

Aquisição de couro registra estabilidade de 0,4% sobre 1º trimestre de 2013

A aquisição de couro inteiro de bovinos foi de 9,2 milhões de unidades no 1º trimestre de 2014. Houve estabilidade de 0,4% na comparação com o mesmo trimestre de 2013 e queda de 4,5% em relação ao trimestre imediatamente anterior. Quanto à origem do couro adquirido, os matadouros frigoríficos respondiam por 63,3% do total, seguidos por 6,5% de intermediários ou salgadores, 2,3% de matadouros municipais e 0,7% de outros curtumes e origens. O couro recebido para prestação de serviços de curtimento foi de 27,2%. Do total das aquisições de couro, 38,4% foram feitas pelo Centro-Oeste, 20,4% pelo Sul, 17,1% pelo Norte, 16,6% pelo Sudeste e 7,6% pelo Nordeste. Em termos de aquisição total de couro, o Mato Grosso (16,1%) merece destaque, seguido por Mato Grosso do Sul (12,6%), São Paulo (11,5%) e Rio Grande do Sul (10,9%).

Produção de ovos aumenta 2,4% em relação ao 1º trimestre de 2013

A produção de ovos de galinha foi de 686,3 milhões de dúzias no 1º trimestre de 2014, representando um aumento de 2,4% na comparação com o 1º trimestre de 2013 e queda de 1,4% em relação ao 4º trimestre de 2013. Do total do trimestre, 48,6% são provenientes do Sudeste, 21,6% do Sul, 13,8% do Nordeste, 13,4% do Centro-Oeste e 2,6% do Norte.

Tags:
Fonte:
IBGE

0 comentário