Carne bovina: Volume embarcado alcança 73,8 mil toneladas até a segunda semana de maio/22

Publicado em 17/05/2022 10:01
O desempenho das exportações segue aquecido, mas é preciso ficar atento à demanda chinesa que pode procurar proteínas de outros países por conta da Covid-19

Logotipo Notícias Agrícolas

Nesta terça-feira (17), a Secretária Secretaria de Comércio Exterior divulgou os dados das exportações de carne bovina fresca, refrigerada e congelada alcançaram 73,8 mil toneladas em dez dias úteis de maio/22. O ritmo dos embarques seguem acelerados e pode alcançar o volume embarcado no mesmo período do ano anterior, que exportou 126,7 mil toneladas em 21 dias úteis. 

De acordo com o analista da Safras & Mercado, Fernando Henrique Iglesias, o desempenho das exportações de carne bovina segue bem aquecido, mas é preciso ficar atento à demanda chinesa que pode procurar proteínas de outros países por conta da Covid-19.

“Nesta segunda-feira (16), a China habilitou 13 unidades frigoríficas de carne bovina, aves e suínas dos Estados Unidos. Devemos acompanhar isso de perto, mas os produtos brasileiros seguem com preços mais competitivos que os EUA e tem mais capacidade produtiva”, comentou.  

Até a segunda semana de maio/22, a média diária exportada ficou em 7,3 mil toneladas e registrou um avanço de 22,3% frente à média exportada no mês de maio do ano passado, que ficou em 6,03 mil toneladas.

O valor negociado para o produto até a segunda semana de maio ficou em US$ 468,352 milhões, tendo em vista que o preço comercializado durante o mês de maio do ano anterior foi de US$ 625.395 milhões. A média diária ficou em US$ 46.835 milhões e registrou uma valorização de 57,3%, frente ao observado no mês de maio do ano passado, que ficou em US$ 29.780 milhões. 

Ainda segundo o analista da Safras & Mercado, a tendência é que o real deve trabalhar desvalorizado no restante do ano e o dólar deve operar mais valorizado. “Com o dólar em alta as commodities norte-americanas ficam menos atrativas e podemos ganhar mercado com os nossos produtos”, informou

Os preços médios na segunda semana de maio deste ano ficaram próximos de US$ 6.342,1 mil por tonelada, na qual teve uma alta de 28,6% frente aos dados divulgados em maio de 2021, em que os preços médios registraram o valor médio de US$ 4.933,6 mil por tonelada.

Por:
Andressa Simão
Fonte:
Notícias Agrícolas

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

Ao continuar com o cadastro, você concorda com nosso Termo de Privacidade e Consentimento e a Política de Privacidade.

0 comentário