Conab: Segunda pesquisa de café aponta produção de 50,45 mi de sacas

Publicado em 10/05/2012 10:30 582 exibições
O café produzido no Brasil na safra 2012 está estimado em 50,45 milhões de sacas beneficiadas. O resultado é do segundo levantamento realizado pela Conab e divulgado hoje (10), em Brasília.

O volume representa um crescimento de 16%, se comparado com a safra anterior que foi de 43,48 milhões de sacas de 60 kg. O crescimento é atribuído, sobretudo, ao ano de alta bienalidade e ao investimento realizado pelo produtor na lavoura. Confirmada a expectativa, esta será a maior safra produzida no país, superando até mesmo o recorde anterior de 48,48 milhões de sacas, do período 2002/2003. Em comparação com a safra de 2009, último ano de ciclo positivo, a produção é 4,09% maior.

O café da espécie arábica, com uma produção estimada em 38,13 milhões de sacas, representa em média 75,6% da produção nacional, e o estado de Minas Gerais é o maior produtor, com um volume previsto de 26,34 milhões de sacas.

Já o conilon ou robusta, cuja produção é estimada em 12,31 milhões de sacas, média de 24,4% da produção cafeeira do país, tem no estado do Espírito Santo seu maior produtor, com uma colheita estimada em 9,36 milhões de sacas.

Por outro lado, a área nacional plantada com as duas espécies totaliza 2,346 milhões de hectares. Se confirmada a pesquisa, o aumento será de 3,02% sobre a área de 2.278,10 mil hectares da safra de 2011. Ou seja, serão acrescentados 68.378 hectares.

O estado de Minas Gerais concentra a maior área plantada, com 1,219 milhões hectares, e a maioria absoluta do arábica, enquanto o Espírito Santo ocupa o segundo lugar, com área de 492,26 mil hectares, prevalecendo a espécie conilon que ocupa 62% da área total do estado.
Os dados referem-se à pesquisa realizada no período de 15 a 28 de abril, quando foram visitados os municípios dos principais estados produtores (MG, ES, SP, BA, PR e RO), que representam 98% da produção nacional. 
Tags:
Fonte:
Conab

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário