Publicidade

Café na Semana: Riscos de frio no Brasil impulsionam os preços no mercado internacional

Publicado em 10/05/2013 15:46 582 exibições
Os preços futuros do café arábica, negociados na Bolsa de Nova York, apresentaram uma melhora durante essa semana, e alcançaram os níveis mais altos em 3 meses. As cotações registraram ganhos de 5% na semana, contabilizados até a última quinta-feira (9) e em torno de 10% no mês, com base no contrato julho/13.

Diante das previsões de tempo mais frio em várias regiões produtoras do Brasil os investidores foram mais cautelosos. Essa semana, uma massa de ar polar atingiu o país, e as temperaturas baixaram, mas sem grandes riscos de geadas no cinturão cafeeiro brasileiro. Além disso, em maio, uma nova massa de ar polar chegará trazendo novos riscos, fator que impulsionou o movimento positivo registrado essa semana no mercado internacional.

Paralelo a esse cenário, o CMN (Conselho Monetário Nacional) aprovou o reajuste no preço mínimo do café arábica que aumentou de R$ 261,69 para R$ 307,00 a saca de 60 kg, uma elevação de 17,3%. O preço do café robusta foi mantido em R$ 156,67 a saca. 

Entretanto, o valor da saca ficou aquém do esperado pelo setor produtivo que esperava um valor de R$ 340,00 a saca, uma vez que a própria Conab (Companhia Nacional do Abastecimento) havia sinalizado um custo de produção médio em R$ 336,00. Os cafeicultores ainda aguardam mecanismos de comercialização do Governo, como o Pepro (Prêmio Equalizador Pago ao Produtor) e os contratos de opção.

Para o cafeicultor de São Sebastião da Anta (MG), Luis Carlos, o valor anunciado pelo conselho não cobre os custos de produção, principalmente, nas regiões montanhosas. “Preços estão baixos, e as despesas não são baratas. Na cidade, a mão de obra é muito cara”, afirma o produtor.

A expectativa é que o conselho aprove, ainda neste mês, voto com a divisão dos recursos do Funcafé para aplicação na temporada, entre, custeio, colheita, comercialização e estocagem, com o orçamento indicado em torno de R$ 3,1 bilhões. Já no Brasil, os preços do café arábica no mercado interno registraram um aumento, refletindo os ganhos da Bolsa de Nova York. No sul de Minas Gerais, o arábica bebida dura subiu de R$ 307,00 a saca para R$ 318,00, uma elevação de 3,6%.
Tags:
Por:
Fernanda Custódio
Fonte:
Notícias Agrícolas

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

Ao continuar com o cadastro, você concorda com nosso Termo de Privacidade e Consentimento e a Política de Privacidade.

0 comentário