Café na Semana: Preços mantêm perdas durante o mês de junho

Publicado em 28/06/2013 14:32 478 exibições

A semana foi negativa para as cotações futuras do café negociadas na Bolsa de Nova York (Ice Futures). Com o cenário fundamental inalterado, diante da perspectiva de uma oferta mundial boa juntamente com a demanda em ritmo mais lento, os preços seguiram em trajetória de baixa. Além disso, as preocupações com a economia norte-americana e europeia, associada à alta do dólar frente ao real são fatores que também pressionaram negativamente os preços futuros da commodity.

O avanço da colheita de café no Brasil segue como fator baixista para o mercado. A expectativa é que a safra brasileira seja uma grande produção, apesar da bienalidade. De acordo com o último levantamento da Conab (Companhia Nacional de Abastecimento), o país deverá colher 48,59 milhões de sacas de 60 quilos. Outro fator que também pesou sobre as cotações do robusta na Bolsa de Londres, foram as exportações do Vietnã durante o mês de junho.

Já demanda segue mais lenta, uma vez que os compradores permanecem adquirindo o produto da mão-pra-boca. E com a chegada do verão no Hemisfério Norte, a tendência é que haja uma diminuição no consumo da bebida. Paralelamente a esse cenário, a valorização da moeda norte-americana frente ao real também contribuiu para pressionar as cotações, já que, a situação aumenta a competitividade do Brasil nas exportações do grão.

Em um balanço mensal, o contrato de setembro do café na Bolsa de NY recuou de 129,15 centavos de dólar por libra-peso no final de maio para 121,90 cents na última quinta-feira (27). As cotações caíram aos níveis mais baixos desde 2009. Na Bolsa de Londres, o vencimento setembro do café robusta passou de US$ 1.923 para US$ 1.745, até ontem.

Brasil – Ainda esta semana, o CMN (Conselho Monetário Nacional) aprovou a distribuição dos recursos do Funcafé para esta temporada no país. O Governo pretende enxugar em torno de 10 milhões de sacas de café do mercado, através dos financiamentos.

No mercado interno brasileiro, as cotações também apresentaram uma diminuição. No Sul de Minas Gerais, a saca do café arábica que era negociada a R$ 287,00 baixou para R$ 285,00 ao longo do mês. Em Vitória (ES), a saca do conillon tipo 7 passou de R$ 243,00 para R$ 238,00.

 

Tags:
Por:
Fernanda Custódio
Fonte:
Notícias Agrícolas

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário