Café na Semana: Em julho, preços internacionais recuam novamente e alcançam patamares mais baixos dos últimos 4 anos

Publicado em 02/08/2013 14:34
492 exibições

As cotações futuras do café negociadas na Bolsa de Nova York encerraram o mês de julho nos patamares mais baixos dos últimos quatro anos. As condições climáticas favoráveis à colheita da safra brasileira pesam sobre o mercado. A expectativa do mercado, é que o Brasil colha uma grande produção este ano. De acordo com o último levantamento da Conab (Companhia Nacional de Abastecimento), o país deverá colher 48,59 milhões de sacas de 60 quilos. 

Nas duas últimas semanas, as cotações internacionais do café até esboçaram uma recuperação com as geadas que atingiram importantes regiões de produção agrícola no país. Entretanto, como não houve perdas significativas nas lavouras do grão, os preços perderam a força e recuaram. 

Paralelo a esse cenário, a demanda segue em ritmo lento, uma vez que os compradores permanecem adquirindo o grão de mão-pra-boca. Segundo analistas, as indústrias mantêm os estoques mais curtos, não exercendo pressão compradora no mercado. Além disso, outro fator que tem pesado sobre os preços futuros é a alta do dólar frente ao real, que favorece as exportações nacionais. 

No balanço mensal, o contrato de setembro/13 do café arábica na Bolsa de NY registrou uma desvalorização de 1,5%, passando de 120,40 centavos de dólar por libra peso, no final de junho, para 118,60 cents no final de julho. 

Brasil – Em contrapartida, a alta do dólar diante da moeda brasileira deu sustentação aos preços do café no mercado interno. Em balanço mensal, a cotação do café arábica bebida dura encerrou o mês de julho com mesmo preço que havia sido registrado em junho, de R$ 285,00 a saca de 60 quilos. 
 
Apesar do suporte, em várias regiões do país os preços estão mais baixos do que os custos de produção. A reunião do Conselho Deliberativo das Políticas do Café, que seria realizada nesta quinta-feira (1) foi cancelada. A expectativa é que o Ministro da Agricultura, Antônio Andrade, deverá anunciar medidas de apoio à comercialização para a cafeicultura brasileira na próxima segunda-feira (5).

Tags:
Por: Carla Mendes
Fonte: Notícias Agrícolas

Nenhum comentário