Café: Governo autoriza contratos de opções para 3 milhões de sacas

Publicado em 07/08/2013 11:59 e atualizado em 07/08/2013 17:28
1699 exibições

Na manhã desta quarta-feira (7), a presidente Dilma Rousseff anunciou que o governo autorizou o lançamento de contratos de opções de venda para 3 milhões de sacas de café com preços de R$ 346,00 a saca e vencimento em março do próximo ano. As medidas foram anunciadas pela presidente na cidade de Varginha, em Minas Gerais, uma das principais regiões produtoras de café do país.

Além disso, a presidente também sinalizou que o governo ainda financiará a estocagem do grão com compras garantidas pelo preço mínimo de R$ 307,00 a saca, fixado pelo CMN (Conselho Monetário Nacional). Entretanto, as operações ainda não foram detalhadas. 

Dilma anuncia contratos de opção para 3 mi de sacas de café

A presidente Dilma Rousseff anunciou nesta quarta-feira o lançamento de contratos de opção de venda para 3 milhões de sacas de café, atendendo a uma demanda de produtores em meio à forte queda nos preços no mercado internacional. A presidente disse que os contratos de opções terão preço fixado em 346 reais, com vencimento previsto em março. Dilma fez o anúncio em entrevista a rádios locais durante uma visita a Varginha, importante região produtora no sul de Minas Gerais, Estado que colhe o maior volume de café no país.

Leia a notícia na íntegra no site da Reuters

Clique aqui e ouça a entrevista da presidente Dilma Rousseff à Rádio Itatiaia

Veja a notícia oficial do Ministério da Agricultura:

Governo anuncia financiamentos para apoiar a cafeicultura

O Governo Federal lançará o leilão de Contratos de Opção de Vendas de café já neste mês de agosto, com exercício de opção para março de 2014, com aporte de recursos acima de R$ 1 bilhão. A decisão executada pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) atende a 3 milhões de sacas de 60 quilos de café. O preço para contratos do leilão é de R$ 343, conforme edital que será publicado, oportunamente, pela Conab. Essa medida foi acordada entre o governo, a Confederação Nacional de Agricultura e Pecuária (CNA) e o Conselho Nacional do Café (CNC).
O anúncio foi feito pela presidente da República Dilma Rousseff, na manhã desta quarta-feira, 7 de agosto, em Varginha (MG), por ocasião da inauguração do Campus Avançado da Universidade Federal de Alfenas. Participou do ato o ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Antônio Andrade.

“Sei perfeitamente da importância da cafeicultura para a economia do nosso país. Eu tenho recebido do ministro Antônio Andrade os pleitos dos cafeicultores e os mesmos foram analisados exaustivamente, tanto pela Agricultura, como pelos órgãos de governo, como o Banco do Brasil e todos os demais que tratam da questão da agricultura do país”, disse a presidenta.

Dilma anunciou ainda que o governo irá autorizar crédito para financiar a estocagem do café. “Os cafeicultores que estão começando a colher não precisam comercializar imediatamente sua produção, pois vão dispor de recursos para manter os seus produtos estocados, na expectativa de elevação do preço da saca no mercado nos próximos meses”, destacou a presidenta.

Além disso, Dilma Rousseff disponibilizou recursos para aquisição de café pelo governo ao preço mínimo de R$ 307 a saca do grão. De acordo com a presidenta “evitamos com isso que os pequenos produtores que precisam do recurso no curto prazo vendam sua produção a preço vil”. Ela acrescenta que “com essas três medidas, é de nosso interesse que os cafeicultores tenham condições mais adequadas para tanto produzir quanto para comercializar a sua safra. Acredito que com isso a gente tenha atendido a esses pleitos dos produtores do café”.

Entretanto, a presidenta não mencionou valores para o financiamento para a linha de estocagem nem para a compra de café.
Segundo o ministro Antônio Andrade, as políticas anunciadas vão fomentar a cafeicultura nacional e atender aos pleitos do setor como um todo. “Essas novas ações efetivas de apoio mostram o comprometimento do Governo Federal com um dos principais produtos do agronegócio deste país”, destacou.
Histórico

Diversas medidas de política cafeeira foram tomadas nos últimos seis meses com o propósito de buscar o equilíbrio das cotações e diminuir a volatilidade dos preços do café nos mercados interno e internacional:

• Autorização de concessão de prazo adicional de 60 dias para pagamento da primeira parcela das operações de estocagem contratadas em 2012 com recursos do Funcafé. (Resolução CMN nº 4.183, de 31.01.2013)

• Autorização da reprogramação de desembolso para estocagem de cafés das operações contratadas no período de 1º/01/2012 a 28/03/2013, concedendo prazo adicional de 12 meses com vencimento da primeira parcela para junho de 2013, contratadas com recursos do Funcafé. (Resolução CMN nº 4.208, de 28/03/2013)

• Estabelecimento dos preços mínimos para os cafés arábica e robusta colhidos em 2013 em R$ 307/saca e R$ 156,57/saca, respectivamente. (Portaria Mapa nº 309, de 17/05/2013, após aprovação dos valores pelo Conselho Monetário Nacional)

• Definição da distribuição dos recursos do Funcafé para 2013 no total de R$ 3,16 bilhões. Foram destinadas para as operações de crédito de custeio até R$ 650 milhões; para estocagem, R$ 1,14 bilhão; para financiamento para aquisição de café, R$ 500 milhões; para financiamento de contratos de opções e operações em mercados futuros, R$ 50 milhões e para recuperação de cafezais danificados, R$ 20 milhões. Também foram distribuídos recursos para o financiamento de capital de giro para as indústrias de café solúvel de até R$ 150 milhões. Já para as indústrias de torrefação de café, até R$ 200 milhões, e para as cooperativas de produção, R$ 450 milhões. (Resolução CMN nº 4.229, de 18/06/2013)

Na Agência Brasil: Em Minas Gerais, Dilma anuncia medidas de apoio aos produtores de café

A presidenta Dilma Rousseff anunciou hoje (7), em Varginha, sudeste de Minas Gerais, três medidas de apoio ao setor cafeeiro, que enfrenta crise por causa dos baixos preços de comercialização.

Segundo levantamento da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), nos últimos meses, os preços pagos aos cafeicultores pela saca de 60 quilos têm ficado abaixo dos custos de produção e do preço mínimo. Na safra 2012/2013, os preços do grão caíram, em média, 24% nas principais regiões produtoras.

O governo autorizou o lançamento de contratos de opção de venda de 3 milhões de sacas do grão, com pagamento de R$ 343 para cada uma e vencimento em março de 2014. Com os contratos de opção de venda, o produtor garante a comercialização antecipada da safra ao governo. O contrato com data de vencimento futura permite também que o produtor venda sua safra no mercado, caso encontre preço melhor.

A segunda medida para os cafeicultores anunciada por Dilma foi a liberação de crédito para financiar a estocagem de café até que os preços de venda ao mercado melhorem. “Vocês não precisam comercializar imediatamente sua produção, porque vão dispor de recursos para manter estocada na expectativa de aumento de preço da safra nos próximos meses”, explicou.

Dilma também anunciou a liberação de recursos para a política de preço mínimo para compra do grão, o que beneficia diretamente os pequenos produtores. “Com isso, evitamos que os pequenos, que precisam do recurso no curto prazo, vendam por um preço ruim”, avaliou.

“Esperamos que os cafeicultores tenham condições tanto para produzir quanto comercializar sua safra, é esse o sentido deste anúncio”, resumiu. Dilma apresentou as medidas durante a cerimônia de inauguração do campus avançado da Universidade Federal de Alfenas (Unifal) no município de Varginha. Minas Gerais concentra a maior parte de produção de café do país, com 52,66% da área nacional cultivada, segundo dados da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab).

O setor cafeeiro aguardava o anúncio há alguns dias, mas o governo preferiu adiar a divulgação, para que Dilma pudesse apresentar as medidas durante a visita à maior região produtora do país.

Fonte: Agência Brasil

Tags:
Por: Fernanda Custódio
Fonte: NA+Reuters+Rádio Itatiaia

1 comentário

  • Fabiano Ambrósio Teixeira Lajinha - MG

    Aleluia!!! O Governo acordou e piscou o olho pra cafeicultura brasileira, mas ainda falta muito pra chegar no ideal. E que se mantenha acordado...

    0