Procafé estima perda de 20% para safra de 2015 devido ao déficit hídrico no Sul de Minas

Publicado em 11/09/2014 15:30 e atualizado em 11/09/2014 16:11 436 exibições

A Fundação Procafé ligada ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), divulgou nesta quarta-feira (10), dados sobre o déficit hídrico no Sul do Estado de Minas Gerais. Segundo o levantamento, a região está próxima da maior seca da história, registrada no ano de 2007.

As chuvas no mês de agosto ficaram abaixo da média histórica (veja tabela abaixo). De acordo com o relatório, as lavouras do Sul de Minas se encontram severamente estressadas, com ocorrência de desfolha acentuada e depauperamento de plantas.  O município de Varginha-MG tem déficit hídrico de 181,9 mm, Carmo de Minas 167,9 mm e Boa Esperança registrou déficit de 226,4 mm. Com ausência de precipitações significativas para o curto prazo a Fundação projeta uma situação alarmante com perdas significativas para safra de 2015. Segundo o pesquisador da Procafé, Alysson Fagundes, as perdas para a safra 2015 devem ficar em torno de 20%.​

“Se não tivermos chuvas de 50 mm no mês de setembro, tenho certeza que veremos a pior safra da cafeicultura”, diz Fagundes.

Segundo o pesquisador, as plantas da safra 2015 já deveriam estar com florada, mas ainda estão com folhas. “As lavouras esqueletadas que são as que dariam altas safras para 2015 deveriam estar com 29 nós de crescimento vegetativo. Dependendo da região, estão com 12 nós de crescimento, esse é um reflexo severo de redução na produtividade”.

Com esses dados, Fagundes acredita que as lavouras de café que teriam produção estimada em 30 a 40 sacas por hectare este ano, devem ter queda de produção.

Segundo o pesquisador, mesmo que a região Sul de Minas receba chuvas nos próximos dias, os danos causados pela seca já refletem consideravelmente na próxima safra.

“As perdas até hoje não voltam, as chuvas só devem minimizar a situação. Até o presente momento temos 226 mm de déficit hídrico em Boa Esperança. Em 2007, quando tivemos uma péssima florada que refletiu drasticamente na safra de 2008, nós tivemos no Sul de Minas na Estação Meteorológica de Boa Esperança 250 mm de déficit, ou seja, nós estamos muito próximos disso”, ressalta o pesquisador.

O gráfico abaixo compara o déficit hídrico dos anos de 2014 e 2007 na Varginha-MG.  Naquele ano, foram observadas ocorrências de flores anormais e abortamento superior a 80% do total de flores.

Ainda de acordo com o levantamento, os índices de infecção média de ferrugem nas regiões também aumentaram. As variações de incidência neste final de ciclo são influenciadas pela desfolha das folhas infectadas.

Tags:
Por:
Jhonatas Simião
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário