Café: NY fecha em alta com recompra de posições; Chuvas em Minas não minimizam déficit hídrico

Publicado em 22/09/2014 18:14 538 exibições

Nesta segunda-feira (22), a Bolsa de Nova York (ICE Futures US) para o café arábica encerrou as cotações com leve alta devolvendo parte das perdas da sessão anterior, quando as cotações encerraram no patamar mais baixo desde julho com foco na safra 2015. Na sessão de hoje, o vencimento dezembro/14 registrou 179,40 cents de dólar por libra peso com alta de 140 pontos. O março/ 15 anotou 183,55 cents/lb e o maio/15 encerrou a sessão cotado a 186,00 cents/lb, ambos com valoração de 135 pontos. O julho/15 também fechou no campo positivo com 187,55 cents/lb e 130 pontos.

De acordo com o analista de mercado do Escritório Carvalhaes, Eduardo Carvalhaes, o dia foi calmo e sem notícias que influenciaram significativamente a Bolsa. “As informações são as mesmas das últimas sessões, hoje foi um dia de recompra de posições, por isso a alta”, afirma. No entanto, para o analista as cotações devem manter a tendência de volatilidade com altas e baixas durante a sessão.

Neste final de semana, a região Sudeste recebeu chuvas como previsto pela Somar Meteorologia em informação reportada pelo NA. Os municípios atendidos pela Cooxupé (Cooperativa Regional de Cafeicultores em Guaxupé Ltda) tiveram precipitações irregulares e de baixa intensidade. O município de Campestre-MG teve a maior precipitação no sábado (20), com 20,2 mm, Caconde-SP teve 19,2 mm seguido por Cabo Verde-MG com 13,8 mm e São José do Rio Pardo que teve precipitação de 12,8 mm.

De acordo com o técnico da Cooxupé, Éder Santos, a florada abriu apenas nos municípios em que a chuva foi superior a 10 mm e nos cafezais com gema madura. “A chuva não foi suficiente para umedecimento do solo. Se a chuva não vier novamente a florada não vai se manter”, afirma.

Segundo Carvalhaes, as chuvas contínuas estão previstas para a primeira quinzena de outubro nas principais regiões produtoras de café.

 

Mercado interno

No Brasil, o volume de negócios continua baixo. As principais variações no dia aconteceram na cidade de Marília-SP, onde o café arábica tipo 6 duro está cotado a R$ 420,00 a saca de 60 kg com alta de 5% em relação ao fechamento anterior. Em Patrocínio-MG, a saca do café cereja descascado está com R$ 450,00 com desvalorização de 2,17%.

 

Londres tem mais um dia de perdas

Diferente de Nova York, a Bolsa Internacional de Finanças e Futuros de Londres (Liffe) para o café robusta encerrou a sessão desta segunda-feira (22) com perdas. A alta do dólar ante o real continua exercendo força sobre os preços, encorajando as exportações. O vencimento novembro/14 fechou a sessão cotado a US$ 1.936 por tonelada e queda de US$ 4. O janeiro/15 encerrou o dia com US$ 1.951, o março/15 com US$ 1.964 por tonelada e o maio/15 com US$ 1.978, ambos com US$ 2 de queda em relação à sessão anterior.

 

Tipos 4 e 5 fecham em alta na BM&F

Os tipos de café 4 e 5 na BM&FBovespa encerraram a sessão com preços mais altos em relação à sessão anterior. O vencimento dezembro/14 teve encerrou a sessão com preço de US$ 213,80 com 588 contratos futuros negociados e giro financeiro de R$ 30,087 milhões. O contrato março/15 está cotado a US$ 219,50 com 2,88% de queda e o setembro/15 tem US$ 223,00 com 0,09% no negativo.

 

Veja as cotações completas de café nesta segunda-feira (22).

Tags:
Por:
Jhonatas Simião
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário