Café: Nova York devolve ganhos da sessão anterior com previsão de chuva regular para os próximos dias

Publicado em 25/09/2014 10:49 511 exibições

A Bolsa de Nova York (ICE Futures US) para o café arábica opera em baixa na manhã desta quinta-feira (25). Por volta das 10h29 (horário de Brasília), o vencimento dezembro/14 registrava 180,60 cents de dólar por libra peso com 850 pontos de baixa, o março/ 15 anotava 184,90 cents/lb com 835 pontos de recuo e o maio/15 tinha 187,55 cents/lb com 815 pontos no negativo. O julho/15 apresentava 760 pontos de queda cotado a 190,05 cents/lb.

De acordo com o analista de mercado, Gilson Fagundes, a pressão dos preços na sessão de hoje têm influência na previsão de chuva regular para os próximos dias na região Sul de Minas Gerais – importante produtora de café, que sofre com déficit hídrico recorde. “A média de chuva de um ano deveria ser em torno de 1500 a 1700 mm, para se ter noção, nós temos no acumulado 500 mm e um déficit de 1000 mm na região”, afirma.

Ainda de acordo com Fagundes, mesmo com a volta das chuvas, as perdas para a safra 2015 devem acontecer visto que as precipitações não foram generalizadas. “A chuva não vai resolver totalmente o problema, mas ameniza. Daqui para frente nós teremos resposta em função da abertura da florada e o seu ‘pegamento’”, diz. A região Sul de Minas chegou a receber chuva no final de semana passada, mas de forma irregular e com volumes baixos.

Na sessão anterior, o mercado fechou em alta influenciado por fatores técnicos em meio à informações sobre a quebra na safra 2015 do Brasil em função do clima, a queda do dólar e preocupações com possíveis quedas na produção do Vietnã em 2014/15.

 

Veja como fechou o mercado nesta quarta-feira:

Café: NY tem maior alta desde 9 de setembro; no mercado interno, compradores esperam níveis melhores

Por Jhonatas Simião

Nesta quarta-feira (24), a Bolsa de Nova York (ICE Futures US) para o café arábica encerrou as cotações com alta expressiva. O vencimento dezembro/14 registrou 189,10 cents de dólar por libra peso, o março/15 anotou 193,25 cents/lb, ambos com alta de 820 pontos. Os contratos com entrega mais distante permanecem com preços mais altos, o maio/15 encerrou a sessão cotado a 195,70 cents/lb e valorização de 805 pontos e o julho/15 com 197,65 cents/lb no positivo com 800 pontos.

De acordo com o analista de mercado da Maros Corretora, Marcus Magalhães, o dia no mercado cafeeiro foi animado e marcado por forte atuação de operadores na ponta compradora nas Bolsas de Nova York e Londres. “Resistências foram rompidas de forma fulminante deixando boa parte dos envolvidos assustados, já que muitos não esperavam um comportamento tão forte ao verificado”, afirma. Ainda de acordo com o analista, o comportamento cambial no Brasil continua exercendo reflexos nas Bolsas de café.

Segundo traders, as preocupações com a quebra na safra 2015 do Brasil em função do clima desfavorável, fatores técnicos, a queda do dólar e preocupações com possíveis quedas na produção do Vietnã em 2014/15 contribuíram para o movimento comprador.

Com relação à questão climática, segundo informações da Somar Meteorologia, uma frente fria deve avançar pelos próximos dias pelas áreas produtoras de café. Entre a quinta e sexta-feira, essa nova frente fria deve trazer chuva forte para o Paraná e faixa sul de São Paulo e no final da sexta-feira e ao longo do fim de semana, a chuva deve cair também na região da Mogiana e faixa sul de Minas Gerais, área que inclui parte do triangulo mineiro. O cerrado e zona da Mata, no entanto, não tem chances de chuva associadas com essa frente fria.

 

Mercado interno

No lado interno, as cotações acompanharam a tendência de alta registrada em Nova York. No entanto, de acordo com o analista de mercado Marcus Magalhães, mesmo com preço firme a paradeira é grande. “O setor produtivo continua arredio deixando as bases praticadas com o sentimento de que podem buscar níveis melhores no curto prazo”, ressalta.

Quase todas as praças tiveram valorização dos preços nesta quarta-feira (24). Destaque para a alta de 8,13% no arábica tipo 4/5 na cidade de Poços de Caldas-MG com a saca cotada a R$ 452,00. O tipo cereja descascado na cidade também apresentou alta expressiva com R$ 507,00 a saca de 60 kg e valorização de 17,75%.

 

Londres fecha em alta com notícias do Vietnã

A Bolsa Internacional de Finanças e Futuros de Londres (Liffe) para o café robusta também fechou o dia com alta. As cotações acompanharam os preços de Nova York e se sustentaram com informações sobre a queda de produção do café no Vietnã. O vencimento novembro/14 finalizou o dia cotado a US$ 1.965 por tonelada e o janeiro/15 com US$ 1.979, ambos com valorização de U$ 36. O contrato março/15 encerrou a sessão cotado a US$ 1.992 e o maio/15 a US$ 2.005, com 35 e 34 pontos de alta, respectivamente.

 

Tipos 4/5 e 6/7 de café arábica registram alta na BM&F

O café arábica tipos 4/5 e 6/7 encerram o dia com alta na BM&FBovespa estendendo os ganhos da sessão anterior.  No tipo 4/5, o vencimento dezembro/14 encerrou a sessão cotado a US$ 225,50 a saca de 60 kg com 4,40% de alta. O contrato março/15 finalizou a sessão com US$ 231,00 e 4,52% e o setembro/15 finalizou o dia a US$ 236,50 com 4,42% de elevação.

O café arábica para o tipo 6/7 na BM&F também trabalha no campo positivo, o contrato-mês dezembro/14 registrou alta de 2,98% e está cotado a US$ 212,60 a saca de 60 kg e o setembro/15 a US$ 225,20 com elevação de 3,78% em relação à sessão anterior.

Tags:
Por:
Jhonatas Simião
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário