Café: Déficit hídrico continua na região Sul de Minas com chuva irregular; Em Três Corações, os preços não cobrem os custos

Publicado em 29/09/2014 12:40 e atualizado em 29/09/2014 13:14 563 exibições

No último final de semana, alguns municípios da região Sul de Minas Gerais receberam as chuvas previstas pela Somar Meteorologia, conforme informação reportada pelo Notícias Agrícolas. A expectativa era de que as precipitações mesmo em baixos volumes pudessem induzir a florada nas regiões produtoras que sofrem com déficit hídrico recorde. No entanto, de acordo com especialistas a chuva não conseguiu reverter a situação. (Veja a tabela com as precipitações das cidades de abrangência da Cooxupé abaixo).

Segundo levantamento realizado pela Organização Internacional do Café (OIC), as temporadas 2014/15 e 2015/16 devem ser marcadas por um déficit no mercado global de café. Segundo o chefe de operações, Mauricio Galindo, a OIC projeta um déficit no mercado de café arábica entre 4 milhões e 5 milhões de sacas em 2014/15.

Segundo o técnico da Cooxupé, Éder Santos, as chuvas que começaram a cair no final de semana na região Sul de Minas foram irregulares em volume e distribuição não conseguindo reverter o déficit hídrico nos cafezais. “A chuva dessa forma é prejudicial porque deixa a planta desorientada, isso mexe com o metabolismo dos cafezais. Sem chuvas uniformes, os produtores também não conseguem fazer adubação e pulverização nos cafezais piorando ainda mais a situação”, afirma.

Para Santos, seriam necessárias chuvas em torno de 60 a 70 mm em dias seguidos para amenizar os reflexos causados pela seca que perdura desde o início do ano e para que haja indução da florada. “Nos municípios que choveu 50 mm a florada deve abrir nos próximos oito dias, nos outros ela pode até abrir, mas não deve ter pegamento”, explica.

De acordo com o vice-presidente do sindicato rural de Três Corações-MG, Heitor Gonzaga Reis, a situação na sua cidade também é crítica. “Infelizmente a chuva que estávamos esperando não veio, e a que veio foi muito esparsa. A chuva é sempre bem vinda, mas no caso do café precisamos de precipitações mais volumosas para reverter o déficit”, afirma. A expectativa é que os chumbinhos sejam abortados, os preços na cidade já não cobrem nem os custos de produção, afetando a economia da região. Segundo Reis, alguns produtores já pensam em deixar a atividade neste ano.

Segundo o produtor de café da cidade de Guapé-MG, Frank Scanavachi, as lavouras estão murchando e os botões florais em estágio avançado secando antes de abrir com a falta de chuva. "Os produtores estão apavorados e vendo a sua próxima safra de novo sendo consumida pelo sol escaldante", diz o cafeicultor.

Segundo o mapa de precipitação acumulada da Climatempo, o Estado de Minas Gerais deve continuar recebendo chuvas pelos próximos 15 dias. No entanto, ainda com volumes baixos. (Veja o mapa abaixo).

>> Veja como a chuva irregular repercute no mercado nesta segunda-feira (29).

Veja a tabela da Cooxupé da precipitação no final de semana:

Veja o mapa da Climatempo de chuva acumulada para os próximos 15 dias:

Tags:
Por:
Jhonatas Simião
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário