Café: Nova York opera em alta, após dia de realização de lucros

Publicado em 08/10/2014 10:28 e atualizado em 08/10/2014 14:48 467 exibições

Na manhã desta quarta-feira (8), a Bolsa de Nova York (ICE Futures US) para o café arábica registra leva alta. Por volta das 10h23 o contrato dezembro/14 registrava 219,50 cents de dólar por libra peso com alta de 315 pontos, o março/15 anotava 223,20 cents/lb com valorização de 300 pontos. O maio/15 trabalhava com 225,00 cents/lb e 310 pontos positivos e o julho/15 tinha alta de 200 pontos operando com 224,70 cents de dólar por libra peso.

Mais cedo, as cotações operavam no campo negativo estendendo a realização de lucros da sessão anterior quando as cotações tiveram desvalorização acima dos 400 pontos. De acordo com analistas, a realização de lucros com vendas de fundos e de especuladores é um movimento natural devido às altas expressivas registradas nos últimos dias.

Segundo o meteorologista da Climatempo, Alexandre Nascimento, em entrevista ao Notícias Agrícolas na tarde de ontem, as previsões climáticas indicam que as chuvas devem se normalizar no Sudeste apenas a partir da segunda quinzena de novembro. Mas já a partir de 15 de outubro, a região deve receber formação de nuvens com pancadas de chuvas.

Veja como fechou o mercado na terça-feira:

Café: NY fecha em baixa e devolve parte dos ganhos com realização de lucros

Por Jhonatas Simião

A Bolsa de Nova York (ICE Futures US) para o café arábica encerrou as cotações no campo negativo nesta terça-feira (7) com realização de lucros e recuperando parte dos ganhos da sessão anterior quando registrou altas expressivas de mais de mil pontos. A realização de lucros com vendas de fundos e de especuladores é um movimento natural devido às altas expressivas registradas nos últimos dias.

O contrato dezembro/14 registrou 216,35 cents de dólar por libra peso com baixa de 445 pontos, o março/15 anotou 220,20 cents/lb com desvalorização de 425 pontos. O maio/15 fechou o dia cotado a 221,90 cents/lb e 420 pontos negativos e o contrato com vencimento mais distante, o julho/15 encerrou o dia com 222,70 cents/lb e 410 pontos de queda.

De acordo com o analista de mercado do Escritório Carvalhaes, Nelson Carvalhaes, apesar da realização de lucros, o mercado internacional ainda continua focado na seca nas regiões cafeeiras do Brasil.“O mercado tem prejuízos a cada dia que passa com a seca, se chover só na quinzena de novembro o resultado para o próximo ano é imprevisível”, afirma.

O analista pondera que os estoques de passagem estão baixos e representam cerca de 20% da necessidade global de consumo. “Como para a próxima safra a produção deve cair, esses estoques irão reduzir deixando o mercado em uma situação delicada”, diz. Ainda segundo o analista, a questão cambial também influenciou no comportamento das bolsas.

De acordo com o meteorologista da Climatempo, Alexandre Nascimento, as previsões indicam que as chuvas devem se normalizar na região Sudeste apenas a partir da segunda quinzena de novembro. Mas a partir de 15 de outubro, deve receber na região formação de nuvens com pancadas de chuvas.

Nesta terça-feira, a Federação Nacional de Cafeicultores da Colômbia anunciou elevação de 6% na produção de café arábica em setembro. No entanto, segundo Carvalhaes, a divulgação não pressionou o mercado.“A produção da Colômbia não impacta no mercado mundial por ter baixa produção (cerca de 600 mil sacas), apesar da qualidade”, diz o analista.

>> Produção de café da Colômbia sobe 6% em setembro, diz federação

Mercado interno

O mercado opera sem liquidez observando as volatilidades e seus desdobramentos. Os produtores estão inseguros sem saber quanto haverá de perda na próxima safra e segurando um pouco as vendas. O cafeicultor está avaliando minuciosamente sua produção e custo.

O Indicador CEPEA/ESALQ do arábica tipo 6, estava cotado na segunda-feira (6) a R$ 510,23/saca de 60 kg com alta de 1,80%.

BM&F tem cotações do tipo 4/5 no campo misto

O café arábica tipo 4/5 na BM&F Bovespa encerrou o dia no campo misto.  O vencimento dezembro/14 encerrou cotado a US$ 248,20 a saca de 60 kg com baixa de 1,70%, o março/15 finalizou a sessão com US$ 260,50 e valorização de 1,26%. O setembro/15 anotou US$ 268,00 a saca e 1,11% de desvalorização. No tipo 6/7, foi mais um dia sem negócios.

Liffe realiza lucros, mas encerra sessão no campo positivo

As cotações do café robusta na Bolsa Internacional de Finanças e Futuros de Londres (Liffe), finalizaram em alta nesta terça-feira (7). O mercado chegou operar no vermelho durante a sessão com realização de lucros. Mas os movimentos de compra foram mais fortes. O contrato novembro/14 está cotado a US$ 2.176 por tonelada e alta de US$ 11 a tonelada, o janeiro/15 anotou US$ 2.187 por tonelada e valorização de US$ 10.
Tags:
Por:
Jhonatas Simião
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário