Café: NY opera em alta com cenário climático no Brasil; Mercado interno trabalha com poucos negócios

Publicado em 14/10/2014 10:34 e atualizado em 14/10/2014 12:22 296 exibições

Na manhã desta terça-feira (14), a Bolsa de Nova York (ICE Futures US) para o café arábica registra alta. Por volta das 12h21, o contrato dezembro/14 registrava 219,80 cents de dólar por libra peso com alta de 170 pontos, o março/15 anotava 223,75 cents/lb com valorização de 175 pontos. O maio/15 trabalhava com elevação de 210 pontos cotado a 225,90 cents/lb e o julho/15 tinha alta de 200 pontos operando com 227,05 cents de dólar por libra peso.

Na sessão anterior, o mercado fechou em baixa registrando alta volatilidade durante a sessão. A preocupação com a safra 2015/16 ainda permeava por Nova York. Entretanto, vendas técnicas prevaleceram no final da sessão com baixas acima dos 200 pontos.

O mercado interno continua sem ritmo e liquidez, apesar das volatilidades registradas. De acordo com o analista de mercado da Safras&Mercado, Gil Carlos Barabach, o produtor está aproveitando as puxadas no mercado para fazer negócios com o café disponível e oxigenando o caixa, mas sem vender toda a produção de uma única vez. Na segunda-feira (13), o Indicador CEPEA/ESALQ do arábica tipo 6 registrou baixa e está cotado a R$ 503,09 a saca de 60 kg e desvalorização de 0,78%.

Veja como fechou o mercado na segunda-feira:

Café: NY fecha em baixa à espera de novidades; Consultoria prevê safra 2015 entre 43 mi e 45 milho

Por Jhonatas Simião

A Bolsa de Nova York (ICE Futures US) para o café arábica encerrou esta segunda-feira (13), com preços mais baixos. A sessão foi marcado por ampla volatilidade operando durante o dia no campo positivo e negativo.

O contrato dezembro/14 registrou 218,10 cents de dólar por libra peso e queda de 230 pontos, o março/15 anotou 225,10 cents/lb com desvalorização de 220 pontos. O maio/15 encerrou a sessão cotado a 227,00 cents/lb com baixa de 225 pontos e o julho/15 teve recuo de 230 pontos com 229,15 cents/lb.

De acordo com o analista de mercado da Safras&Mercado, Gil Carlos Barabach, apesar da baixa o mercado segue influenciado pela questão climática no Brasil. “A falta de chuva e temperatura elevada levaram Nova York a novas tentativas de alta durante a sessão. No entanto, no final prevaleceu os fatores técnicos”.

Segundo Barabach, esses fatores técnicos têm várias origens como o rompimento da linha dos 220,00 cents de dólar por libra peso e as vendas da safra da Colômbia e Vietnã com o mercado mais interessante para o lado da venda.

Ainda de acordo com o analista, é preciso novidades para as cotações romperem o patamar 220,00 cents de dólar por libra peso. “Estamos ainda em um mercado de clima, sem chuvas que tragam tranquilidade para produção. A grande florada ainda não aconteceu no Brasil e outubro ainda tem sido um mês atípico”, afirma o analista.

Sem precipitações regulares para reverter o déficit hídrico e à espera de floradas que devem confirmar números para a safra 2015, o produtor segue preocupado. De acordo com dados da consultoria norte-americana Hackett Financial Advisors, a safra brasileira de café deve ser entre 43 milhões e 45 milhões de sacas de 60 kg.

>> Calor pode agravar problemas em áreas de café e cana do Brasil

Mercado interno

De acordo com Barabach, o produtor está aproveitando as puxadas no mercado para fazer negócios com o café disponível e oxigenando o caixa, mas sem vender toda a produção de uma única vez.

Segundo o cafeicultor e consultor de mercado, Marco Antônio Jacob, grande dos produtores anteciparam muito venda de café futuro e estão com pouca saca em estoque. "O que resta de café é para ser negociado no ano que vem", afirma.

Nesta segunda-feira (13), na cidade de Guaxupé-MG, o cereja descascada está cotado a R$ 570,00 a saca de 60 kg com valorização de 0,35%, o arábica tipo 6 duro tem preço melhor em Espírito Santo do Pinhal-SP com 520,00 a saca — valor estável em relação à sessão anterior.

O Indicador CEPEA/ESALQ do arábica tipo 6 registrou baixa na sexta-feira (10) e está cotado a 507,07 a saca de 60 kg e valorização de 0,78%.

Seguindo NY, tipo 4/5 encerra no campo negativo na BM&F Bovespa

As cotações do café arábica tipo 4/5 finalizaram a sessão desta segunda-feira (13) na BM&F Bovespa com baixa. O vencimento dezembro/14 encerrou o dia cotado a US$ 247,60 a saca de 60 kg com baixa de 1,61%, o março/15 teve 1,38% negativos com US$ 253,50 e o setembro/15 anotou US$ 272,50 a saca com 1,52% de desvalorização. Para o tipo 6/7, foi mais um dia sem negócios.

Liffe registra alta em Londres

As cotações do café robusta na Bolsa Internacional de Finanças e Futuros de Londres (Liffe) registraram alta na sessão desta segunda-feira (13). O contrato novembro/14 está cotado a US$ 2.170 por tonelada com elevação de 11 pontos e o janeiro apresentou baixa de 13 pontos e está cotado a US$ 2.189.

Tags:
Por:
Jhonatas Simião
Fonte:
Notícias Agrícolas

1 comentário

  • walter mora San Jose/Costa Rica - CR

    considero que el mercado va seguir subiendo en la medida que el problema de la falta de lluvia persista en las regiones productoras de cafe arabica. Considero que el mercado podria verse reflejado con precios de mas de $230.00 v brasil en mas R 600.00 reales.. hay que tener cuidado al vender ya que va faltar cafe arabica....ir despacio en ventas...

    0