Café: NY inverte alta da sessão anterior e opera em queda; analista acredita em consolidação

Publicado em 24/10/2014 09:44 e atualizado em 26/10/2014 19:55 240 exibições

A Bolsa de Nova York (ICE Futures US) para o café arábica opera em baixa na manhã desta sexta-feira (23). Por volta das 12h47, o contrato dezembro/14 registrava 188,95 cents de dólar por libra peso e o março/15 anotava 193,15 cents/lb, ambos com desvalorização de 435 pontos, o maio/15 trabalhava com queda de 445 pontos cotado a 195,35 cents/lb e o julho/15 tinha 197,95 cents/lb e baixa de 350 pontos.

De acordo com o analista de mercado da Maros Corretora, Marcus Magalhães, as bolsas internacionais operam em consolidação ante as recentes volatilidades registradas, as cotações perdem praticamente todos os ganhos da sessão anterior. No mercado interno, o dia deve ser lento com preços buscando sustentação.

Ainda segundo o analista, os próximos dias no cinturão produtivo deve ser de sol entre nuvens com possibilidade de chuva em São Paulo, Sul de Minas Gerais e Rio de Janeiro.

Na sessão anterior, o mercado fechou com alta de mais de 200 pontos nos principais contratos em um dia marcado por ajustes ante as recentes volatilidades.

Veja como fechou o mercado do café na última quinta-feira:

Café: Quinta-feira em NY é marcada por ajustes; preços avançam e estão próximos dos US$ 2

Por Jhonatas Simião

A Bolsa de Nova York (ICE Futures US) para o café arábica fechou esta quinta-feira (23) recuperando parte das perdas da sessão anterior com alta de mais de 200 pontos nos principais contratos. O vencimento dezembro/14 registrou 193,30 cents de dólar por libra peso, o março/15 anotou 197,50 cents/lb, ambos com valorização de 220 pontos. O maio/15 encerrou a sessão cotado a 199,80 cents/lb e o julho/15 teve 201,45 cents/lb, os dois com alta de 215 pontos.

Segundo o analista de mercado da Maros Corretora, Marcus Magalhães, o dia foi lento e marcado por um processo de ajuste ante as recentes volatilidades. "Os vendidos que estavam, literalmente, sem ar ganharam de presente um fôlego com as recentes baixas e assim, as cotações ajudaram e muito alguns operadores internacionais", diz.

Ainda de acordo com o analista, daqui para frente as cotações deverão ganhar um freio extra no que se refere a possibilidade de fortes baixas.

"As recentes chuvas no cinturão produtivo foram muito aquém das necessidades e as futuras precipitações, ao que parecem, devem ir no mesmo caminho da frustração. Dentro deste cenário climático é possível, que mais dia menos dia, o mercado nas bolsas, volte a encontrar seu prumo, deixando as cotações vigentes, outra vez, num melhor patamar ao atual especulado", pondera o analista.

Cenário diferente

As principais regiões produtoras de café sofrem com déficit hídrico recorde e altas temperaturas. No entanto, produtores do Oeste da Bahia comemoram os bons resultados da última safra e já falam em expansão de área na região. A situação é completamente diferente do que acontece na maior parte do cinturão produtivo e a safra em 2015/16 deve ter crescimento.

"Nós temos um trabalho intenso para lidar com as adversidades, só quem vem aqui e visita consegue ter noção do grau de tecnologia nos nossos cafezais", explica o diretor executivo da Abacafé, Cesar do Vale.

>> Produtores de café do Oeste da Bahia comemoram bons resultados da última safra e já falam em expansão de área na região

Mercado interno

Segundo Marcus Magalhães, há dois fatores que pressionam o lado interno, a alta do dólar com a proximidade das eleições e o comportamento do setor produtivo.

"Não há ninguém apavorado querendo vender. A liquidez é curta nas principais praças de comercialização e a sensação que tenho, feliz ou infelizmente é que a prevalecer o atual cenário melancólico dos preços, o ano de 2014, já começou a dar, seus últimos suspiros", diz o analista.

O Indicador CEPEA/ESALQ do arábica tipo 6 registrou baixa na quarta-feira (22) e está cotado a R$ 459,51 a saca de 60 kg com desvalorização de 0,54%.

O tipo arábica teve melhor preço negociado na cidade Guaxupé-MG com alta de 2,14% em relação à sessão anterior com R$ 525,00 a saca de 60 kg. O tipo cereja descascado continua com melhor valor na cidade de Franca-SP cotado a R$ 560,00 é o mesmo valor do dia anterior.

Tipo 4/5 encerra sessão desta quinta-feira em alta

As cotações do café arábica tipo 4/5 registraram alta nesta quarta-feira (23) na BM&F Bovespa. O vencimento dezembro/14 encerrou o dia com US$ 224,00 a saca de 60 kg e alta de 1,13%, o março/15 anotou US$ 231,50 e elevação de 1,98% e o setembro/15 registrou avanço de 1,29% com US$ 244,00 a saca. O tipo 6/7 não teve negócios.

Robusta fecha em baixa na Liffe

As cotações do café robusta na Bolsa Internacional de Finanças e Futuros de Londres (Liffe) fecharam a sessão desta quinta em mais um dia de baixa. O contrato novembro/14 está cotado a US$ 2.011,00 por tonelada com queda de 14 pontos e o março/15 teve US$ 2.020,00 por tonelada com desvalorização de 19 pontos.

Tags:
Por:
Jhonatas Simião
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário