Café: arábica registra alta nesta 3ª feira na Bolsa de Nova York com investidores na defensiva

Publicado em 18/11/2014 17:07 e atualizado em 19/11/2014 17:09 245 exibições

A Bolsa de Nova York (ICE Futures US) para o café arábica encerrou esta terça-feira (18) com alta. Os investidores continuam na defensiva e à espera de fatos novos e assim, não assumem postura vendedora nos terminais.

O vencimento dezembro/14 registrou 191,10 cents de dólar por libra peso com alta de 360 pontos, o março/15 anotou 192,90 com 110 pontos de avanço, o maio/15 teve 195,30 cents/lb com valorização de 105 pontos e o julho/15 encerrou a sessão com 197,50 cents/lb com 100 pontos positivos.

Segundo o analista de mercado do Escritório Carvalhaes, Sérgio Carvalhaes, o dia foi marcado por movimento técnico e rolagem de posição do vencimento dezembro/14 para o março/15. “O dezembro está em liquidação essa semana, por isso a valorização de mais de 300 pontos. Agora quase que todos os negócios estão baseados no março/15”, explica.

De acordo com o analista de mercado da Maros Corretora, Marcus Magalhães, enquanto não houver uma maior claridade dos fatos climáticos e seus desdobramentos para a safra 2015/16, dificilmente, o mercado romperá as amarras. “Ao que parece, os terminais estão precificados e sem grandes chances de mudança de perfil no curtíssimo prazo”, diz o analista.

Na sessão anterior, os futuros do café arábica caíram mais de 2% na bolsa norte-america, após duas sessões de ganhos. Em entrevista ao Notícias Agrícolas na manhã desta terça-feira (18), o analista de mercado da Smartquant Fundos Investimentos, Antônio Domiciano, explicou a movimentação do contrato  março/15 e fez uma análise gráfica do vencimento que passou a ser referência de negociação e está quase estável nos últimos dias.

Porém, de acordo com Domiciano, a tendência em curtíssimo prazo é de alta, mas a lateralidade deve voltar a ser vista em longo prazo com preços entre 200,00 cents/lb e 260,00 cents/lb.

» Análises gráficas mostram alta de milho e boi, mercado de soja e café de lado

Segundo informação reportada pela Reuters nesta terça, o cinturão produtivo de café deve receber chuvas generalizadas a partir deste fim de semana com umidade da Amazônia espalhando-se pela região Sudeste e com isso preços mais baixos podem ser registrados nas sessões da próxima semana.

» Meteorologia indica chuvas no fim de semana em áreas de café e cana do Sudeste

Mercado interno

De acordo com Sérgio Carvalhaes, o mercado segue com negócios reduzidos se comparar essa época com anos anteriores. “O mercado está no aguardo de informações políticas como o anúncio do novo ministro da fazenda e dados mais concretos sobre a produção de 2015/16. Com isso, poucos negócios são realizados e produtor só vende o necessário”, afirma.

O Indicador CEPEA/ESALQ do arábica tipo 6 registrou queda de 3,21% na segunda-feira (17) e está cotado a R$ 462,71 a saca de 60 kg.

Nesta terça-feira (18), o tipo cereja descascado teve maior valor de negociação na cidade de Guaxupé-MG mesmo com preço estável e está cotado a R$ 567,00 a saca de 60 kg. O tipo 4/5 de café arábica também anotou maior valor na cidade com R$ 557,00 e o tipo 6 duro anotou R$ 504,00 na cidade mineira.

» Clique e veja as cotações do mercado interno nesta terça-feira (18)

Tipo 4/5 fecha em alta na BM&F

As cotações do café arábica tipo 4/5 fecharam com valorização na Bovespa. O vencimento dezembro/14 encerrou o dia com US$ 229,50 a saca de 60 kg e alta de 1,32%, o março/15 ficou estável e anotou US$ 229,00 e o setembro/15 está cotado a US$ 241,00 a saca com valorização de 0,42%. Para o tipo 6/7 não houve negócios.

Robusta registra alta na Liffe

As cotações do café robusta na Bolsa Internacional de Finanças e Futuros de Londres (Liffe) também registraram alta na sessão desta terça-feira. O contrato novembro/14 está cotado a US$ 2.068,00 por tonelada com valorização de US$ 3 por tonelada e o janeiro/15 teve US$ 2.067,00 por tonelada com alta de US$ 2 por tonelada. 

» Clique e veja as cotações completas de café nesta terça-feira (18).

Tags:
Por:
Jhonatas Simião
Fonte:
Notícias Agrícolas

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário