Café: Nesta segunda-feira, cotações do arábica em NY operam com leve baixa

Publicado em 01/12/2014 09:47 e atualizado em 02/12/2014 09:56 96 exibições

As cotações do café arábica operam com queda na Bolsa de Nova York (ICE Futures US) na manhã desta segunda-feira (1º). Por volta das 15h27, o contrato dezembro/15 registrava qeuda de 225 pontos cotado a 184,40 cents/lb, o março/15 anotava 184,10 cents/lb com queda de 335 pontos, o maio/15 tinha 186,65 cents/lb também com desvalorização de 325 pontos e o julho/15 tinha 189,25 cents/lb com 290 pontos negativos.

De acordo com o analista de mercado da Maros Corretora, Marcus Magalhães, as cotações iniciam o dia de formam quase neutra, com pouca variação em relação à sessão anterior. “Acredito em poucas novidades para esse final de ano, as bolsas devem ficar bem ‘lateralizadas’ e só em 2015 é possível que o mercado busque níveis melhores”, afirma.

» Café: Mercado em NY não deve mudar o cenário até o final do ano, mas mantém projeções de alta para 2015

Na sessão anterior, os preços registraram queda de quase 700 pontos com operadores ainda atentos à divulgação do USDA que elevou a safra brasileira. As chuvas volumosas que caíram nas áreas produtoras de café nos últimos dias também contribuíram para a queda expressiva no mercado internacional. O lado interno ainda tem poucos negócios com cafeicultores se recusando vender a produção pelo preço ofertado.

» Clique e veja as cotações completas de café.

Veja como fechou o mercado na sexta-feira:

Café: Em reabertura de sessão, cotações do arábica registram queda de quase 700 pts nesta 6ª

Por Jhonatas Simião

A Bolsa de Nova York (ICE Futures US) para o café arábica encerrou esta sexta-feira (28) com queda de quase 700 pontos, após reabertura do pregão que não funcionou no dia anterior devido ao feriado do Dia de Ação de Graças, comemorado nos Estados Unidos.  

Na sessão desta sexta, o vencimento dezembro/14 registrou 186,65 cents de dólar por libra peso com queda de 685 pontos, o março/15 anotou 187,45 cents/lb com desvalorização de 680 pontos, o maio/15 teve 189,90 cents/lb com recuo de 670 pontos e o julho/15 encerrou a sessão cotado a 192,15 cents/lb com 675 pontos negativos.

Segundo o analista de mercado da Maros Corretora, Marcus Magalhães, a queda no mercado externo se deve as precipitações que caem nas regiões produtoras. “A chuva faz com que os grandes ‘players’ internacionais tenham a sensação de que a água pode ser um alívio para as lavouras e que ela será capaz de reverter o quadro produtivo para 2015”, afirma.

No entanto, o analista não concorda com a visão dos operadores. “Acredito em um cenário melhor apenas em 2016 com um pouco mais de tranquilidade no que se refere ao abastecimento e produção. Mas em 2015 o problema está mais ou menos desenhado e essa chuva não resolve o problema das lavouras”, diz o analista.

Enquanto as variáveis climáticas deixam os produtores atentos com possibilidade de baixa produção, a demanda não para de crescer.

Segundo informação reportada pela Reuters com base no levantamento da Organização Internacional do Café (OIC), a demanda global por café pode crescer 2,5% ao ano até 2020 podendo atingir 175 milhões de sacas de 60 kg ante 149,45 milhões de sacas estimadas neste ano calendário.

Nesta sexta-feira, a OIC divulgou que no mês de outubro as exportações de café subiram 0,5%, totalizando 8,88 milhões de sacas de 60 kg.

» Exportação global de café aumenta 0,5% em outubro, diz OIC

Mercado interno

O setor produtivo continua arredio à conversas mercadológicas deixando as praças de comercialização em um grande vazio de ofertas e expectativas.

“Os produtores de uma forma geral estão indicando que só deverão voltar ao mercado em 2015 e esses últimos 30 dias serão apenas um balanço das atividades. Bolsa para cima ou para baixo não terá força para impor ritmo novo aos negócios”, explica Magalhães.

O tipo cereja descascado teve maior variação na cidade de Espírito Santo do Pinhal-SP, onde a saca está cotada a R$ 510,00 e teve queda de 1,92%. A cidade que tem o maior valor de negociação para o tipo é Franca-SP com R$ 580,00 e preço estável em relação ao dia anterior de negócios.

O tipo 4/5 de café arábica anotou maior valor na cidade de Guaxupé-MG, onde está cotado a R$ 555,00 a saca, mesmo valor dia anterior. O município que apresentou maior variação no dia foi Varginha-MG com queda de 1,00% e a saca está cotada a R$ 495,00.

O tipo 6 duro anotou maior valor em Guaxupé-MG com R$ 502,00 a saca — estável em relação ao dia anterior. A cidade que teve variação mais expressiva foi Espírito Santo do Pinhal-SP com queda de 3,06%.

Na quinta-feira (27), o Indicador CEPEA/ESALQ do arábica tipo 6 registrou queda de 0,97% e está cotado a R$ 464,07 a saca de 60 kg.

» Clique e veja as cotações do mercado interno nesta sexta-feira (28).

Tipo 4/5 fecha em baixa na Bovespa

As cotações do café arábica tipo 4/5 encerraram com queda na BM&F Bovespa. O vencimento dezembro/14 encerrou o dia com US$ 226,60 a saca de 60 kg e queda de 1,93%, o março/15 anotou US$ 226,30 e desvalorização de 3,46% e o setembro/15 está cotado a US$ 235,00 a saca com 1,26% de baixa. O tipo 6/7 não teve negócios.

Liffe registra queda em Londres

As cotações do café robusta na Bolsa Internacional de Finanças e Futuros de Londres (Liffe) ficaram no campo negativo nesta sexta. O contrato novembro/14 está cotado a US$ 2100,00 por tonelada — estável em relação ao dia anterior , o janeiro/15 teve US$ 2075,00 por tonelada recuo de US$ 21 e o março/15 anotou US$ 2070,00 por tonelada e baixa de US$ 24.

Tags:
Por:
Jhonatas Simião
Fonte:
Notícias Agrícolas

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário