Preços do café retomam trajetória de queda nesta 3ª feira na Bolsa de Nova York

Publicado em 16/12/2014 17:15 159 exibições

A Bolsa de Nova York (ICE Futures US) para o café arábica registrou queda nesta terça-feira (16), perdendo parte dos ganhos da sessão anterior quando as cotações tiveram alta de quase 500 pontos com realização de lucros após três dias consecutivos no negativo.

O que influenciou a valorização dos preços na sessão de ontem foi a divulgação dos estoques oficiais americanos que tiveram queda de 307 mil sacas.

Na sessão de hoje, o vencimento dezembro/14 registrou 176,70 cents de dólar por libra peso e o março/15 anotou 177,70 cents/lb, ambos com queda de 95 pontos. O vencimento maio/15 teve 180,20 cents/lb com recuo de 100 pontos e julho/15 fechou a sessão com 182,45 cents/lb e 110 pontos negativos.

De acordo com o analista de mercado da Maros Corretora, Marcus Magalhães, os preços voltaram a cair nesta terça-feira por um misto de realizações de lucros e ajustes técnicos ante a forte aceleração cambial. A moeda norte-americana subiu 1,87% e está cotada a 2,7355 reais na venda, maior nível de fechamento desde 24 de março de 2005 (2,740 reais).

“O dia no mercado cafeeiro foi lento e marcado pela perplexidade dos operadores, ante ao forte comportamento cambial presenciado. O dólar voltou a roubar a cena, já que cotações próximas a R$ 2,75 foram testadas de forma notória”, afirma o analista de mercado.

Ainda de acordo com Magalhães, o cenário climático no cinturão produtivo do Brasil também vem contribuindo para que a tranquilidade na rotina cafeeira.

Mercado interno

Os negócios no mercado interno continuam baixos com a proximidade do final do ano. Segundo Magalhães, a cafeicultura no Brasil não se intimida com as volatilidades externas e os preços seguem firmes. “O setor praticamente parou há uns 15 dias e assim, independente de dólar, bolsa ou clima nada se faz de concreto no negócio café”, explica.

O tipo cereja descascado teve maior variação na cidade de Varginha-MG, onde a saca está cotada a R$ 520,00 e teve alta de 4%. A cidade com o maior valor de negociação no dia foi Guaxupé-MG com saca valendo R$ 577,00 e valorização de 0,87% em relação à sessão anterior.

Para o tipo 4/5, a cidade com maior valor de negociação foi Guaxupé-MG que tem saca cotada a R$ 566,00 e teve valorização de 0,89% em relação ao dia anterior. A localidade com oscilação mais expressiva no dia foi Franca-SP com 4,17% de alta e a saca está cotada a R$ 500,00.

O tipo 6 duro também anotou maior valor em Guaxupé-MG com R$ 513,00 a saca e alta de 0,98%. O município com variação mais expressiva no dia foi Araguarí-MG com valorização de 4,17% e saca cotada a R$ 500,00.

Na segunda-feira (15), o Indicador CEPEA/ESALQ do arábica tipo 6 registrou alta de 0,34% e está cotado a R$ 454,43 a saca de 60 kg.

» Clique e veja as cotações do mercado interno nesta terça-feira (16).

Tipo 4/5 registra baixa na Bovespa

As cotações do café arábica tipo 4/5 encerraram a sessão de hoje com queda na BM&F Bovespa. O vencimento dezembro/15 registrou US$ 216,50 com recuo de 1,32%, o março/15 anotou US$ 214,90 com desvalorização de 0,28% e o setembro/15 fechou o dia com queda de 0,89% cotado a US$ 222,00.

Liffe fecha no campo misto em Londres

As cotações do café robusta na Bolsa Internacional de Finanças e Futuros de Londres (Liffe) fecharam no campo misto nesta terça-feira. O contrato janeiro/15 está cotado a US$ 1936,00 por tonelada — estável, o março/15 teve US$ 1963,00 por tonelada e recuo de US$ 2 e o maio/15 anotou US$ 1983,00 por tonelada com alta de US$ 1.

» Clique e veja as cotações completas de café.

Tags:
Por:
Jhonatas Simião
Fonte:
Notícias Agrícolas

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário