Cooxupé realiza feira agrícola para cafeicultores do Cerrado Mineiro

Publicado em 06/04/2016 09:51 e atualizado em 11/04/2016 11:48
517 exibições

Com sede no sul de Minas Gerais, a Cooperativa Regional de Cafeicultores de Guaxupé, Cooxupé, levará sua expertise a um evento no Cerrado mineiro, onde realizará, nos dias 06 e 07 de abril, a 1ª Feira de Máquinas e Implementos Agrícolas, no município de Coromandel. O evento deve receber cerca de 3 mil cafeicultores, com expectativa de movimentar R$ 24 milhões em negócios.

O Cerrado mineiro é atualmente responsável por 12,7% da produção de café no país e 25,4% em Minas Gerais. A região se destaca pela produção de café com qualidade diferenciada, registrando uma área de 102 mil hectares de café certificado. De acordo com José Eduardo Santos Júnior, Superintendente de Desenvolvimento do Cooperado da Cooxupé, a "Feira do Cerrado" nasceu de uma antiga demanda da região por um projeto parecido com o da FEMAGRI (Feira de Máquinas, Implementos e Insumos Agrícolas realizada no Sul de Minas pela cooperativa). "Esta feira em Coromandel vem atender às necessidades dos nossos cooperados dessa região. Os equipamentos utilizados por produtores do Cerrado e do Sul de Minas possuem características diferentes. No Cerrado, a grande maioria das máquinas e equipamentos é destinada a áreas com maior extensão e com 100% de mecanização. No Sul de Minas, podemos dizer que são máquinas para áreas parcialmente mecanizadas e ou mecanizáveis. Hoje temos experiência e conhecimentos necessários para tornar verdadeiro esse desejo nosso e de nossos cooperados em realizar duas feiras de negócios consecutivas", revela.

A Feira do Cerrado contará com 63 estandes e 50 expositores, além de praça de alimentação. O evento acontece em um momento oportuno para a cafeicultura brasileira, com a alta demanda do grão e a valorização de preços. "A feira pretende trazer comodidade para o produtor do Cerrado, oferecendo as mesmas condições e facilidades de investimento aplicadas durante a FEMAGRI. O cooperado poderá utilizar seu café como moeda de troca parcelando em até três safras (2016, 17 e 18). O momento é de preparação para a colheita", aponta o superintendente.

Os cafeicultores encontrarão produtos de R$ 30,00 a R$ 700 mil reais. "Possibilitar o acesso dos nossos cooperados, principalmente os pequenos produtores, a novas tecnologias é a missão deste evento. Acreditamos que a mecanização é uma das formas para o cafeicultor trabalhar com sustentabilidade. Estamos otimistas", diz o presidente da Cooxupé, Carlos Alberto Paulino da Costa.

A Feira acontece dentro do Núcleo da Cooxupé em Coromandel. A abertura oficial está marcada para 10h.

Evento: Feira de Máquinas e Implementos Agrícolas do Cerrado

Data: 6 e 7 de abril de 2016, das 08h00 as 18h00

Abertura Feira: 10 horas do dia 6 de abril

Expositores: 60

Expectativa de público: 3 mil pessoas

Cidade: Coromandel/MG

Endereço: Rua João Vieira, 226 A | Sagrada Família

No Notícias Agrícolas

Café: Lavouras da safra 2016/17 tem perdas de até 30% no Cerrado Mineiro

Por Jhonatas Simião

O cenário para o cafeicultor do Cerrado Mineiro na safra 2016/17 não é tão otimista, como no Sul do estado, por exemplo, – que deve ter produção mais regular neste ano –. O clima adverso no fim de 2015 e início desse ano prejudicou o desenvolvimento dos chumbinhos e a quebra em lavouras da região pode chegar a 30%.

As fazendas do cafeicultor, Vanderlei Silvoni, em Coromandel (MG) e Guimarânea (MG), chegaram a produzir 90 sacas por hectare em 2014. No entanto, nesta temporada, que começa ser colhida nos próximos dias, a produtividade média não deve passar de 60 sacas por hectare. "Realizamos a adubação correta nos cafezais, mas não tem como a planta produzir sem água, porque elas não absorvem os nutrientes necessários. Tivemos um clima seco demais em janeiro", afirma Silvoni.

Segundo ele, a florada em setembro do ano passado na região foi bonita e animou os produtores. No entanto, no final de 2015 e começo desse ano, a região voltou a receber menos chuvas – Coromandel (MG) ficou quase 30 dias sem precipitações em janeiro – e registrar altas temperaturas fazendo com que muitos chumbinhos caíssem dos cafezais. "Estimo que vou ter quebra de até 30% em cada uma das minhas lavouras em relação ao ano passado. E esse problema é generalizado", pondera o cafeicultor. Para Silvoni, nem mesmo a expectativa de melhor granação nesta safra pode compensar a queda na produção.

O Cerrado Mineiro é atualmente responsável por 12,7% da produção de café no país e 25,4% em Minas Gerais. A região se destaca pela produção de café com qualidade diferenciada, registrando uma área de 102 mil hectares de café certificado.

Em outras áreas do Cerrado, principalmente, na região de Araguari (MG), as lavouras receberam chuvas mais regulares. Cafeicultores locais, inclusive, estimam que a colheita seja antecipada em até um mês nesta temporada e será maior que a do ano passado. 

"Na safra passada tivemos problemas de enchimento e perda de qualidade dos grãos. Neste ano, o clima está ajudando e estamos conseguindo realizar os tratos culturais necessários para o bom desenvolvimento das plantas. Acredito em uma estabilização da produção nas próximas safras", explicou ao Notícias Agrícolas no início do ano o produtor de café, Sérgio Bronzi.

Apesar do cenário não ser tão otimista para alguns produtores de café do Cerrado Mineiro nesta safra, Vanderlei Silvoni, acredita em boa colheita no próximo ano. "As lavouras já mostram sinais de recuperação para a safra 2017/18, com o clima melhor nos últimos meses. Inclusive, não devo nem realizar poda completa nos cafezais", explica.

Pensando em otimizar os trabalhos no campo na próxima safra e garantir maior produtividade, Silvoni deve usar seu café como moeda de troca – Operação barter – para comprar novos produtos e máquinas para suas lavouras na 1ª Femagri – Feira de Máquinas e Implementos Agrícolas, da Cooxupé (Cooperativa Regional de Cafeicultores de Guaxupé), entre os dias 6 e 7 de abril, no município de Coromandel (MG). O evento deve receber cerca de 3 mil cafeicultores, com expectativa de movimentar R$ 24 milhões em negócios. "Mesmo o preço do café tendo recuado nos últimos dias, a possibilidade de fazer essas compras em café é uma excelente oportunidade para o produtor", afirma Silvoni.

"A feira pretende trazer comodidade para o produtor do Cerrado, oferecendo as mesmas condições e facilidades de investimento aplicadas durante a FEMAGRI. O cooperado poderá utilizar seu café como moeda de troca parcelando em até três safras (2016, 17 e 18). O momento é de preparação para a colheita", aponta o Superintendente de Desenvolvimento do Cooperado da Cooxupé, José Eduardo Santos Júnior.

Tags:
Fonte: Cooxupé + Notícias Agrícolas

1 comentário

  • Telmo Heinen Formosa - GO

    Na nossa cidade, o tipo de convite é bem diferente. Foi expedido a pouco: Amigos e Amigas (O cara é Fazendeiro e do PT, pode? Foi até deputado Estadual), lhes apresentamos o calendário da EXPOGRO de 2016: Dia 29 de julho, Trio Parada Dura; Dia 30 de julho, Zé Neto e Cristiano; Dia 31 de julho, Pedro Paulo e Mateus; Dias 1º e 02 livre; Dia 03 de agosto, Forró Boys; Dia 04 de agosto, Israel e Rodolfo; Dia 05 de agosto, Bruno e Barreto; Dia 06 de agosto, Maiara e Maraisa. Pedimos, desde já, desculpas por não termos atendido aos que pediram outros cantores, entre outros motivos, por falta de espaço "nas agendas deles". Queremos contar com seu apoio. ass. IVAN ORNELAS e FERNANDO RAMOS. Por favor, compartilhem esta publicação. OBRIGADO.

    0
    • Paulo Roberto Rensi Bandeirantes - PR

      É o "RITO ROMANO": PÃO & CIRCO !!!

      0