Café arábica cai pela segunda sessão seguida em NY nesta 3ª com oferta e chuvas no BR

Publicado em 19/03/2019 17:22
207 exibições

LOGO nalogo

Os contratos futuros do café arábica na Bolsa de Nova York (ICE Futures US) encerraram a sessão desta terça-feira (19) com leve baixa. Apesar de oscilar dos dois lados da tabela na sessão, o mercado seguiu repercutindo as informações da oferta e safra 2019/20 do Brasil.

O vencimento maio/19 encerrou o dia com queda de 20 pontos, a 96,65 cents/lb e o julho/19 anotou 99,40 cents/lb com 15 pontos de perdas. O setembro/19 anotou 102,15 cents/lb com 10 pontos de recuo e o dezembro/19 registrou 106,00 cents/lb com desvalorização de 5 pontos.

O mercado do arábica na ICE chegou a oscilar dos dois lados da tabela durante o dia. Quando trabalhava em alta, os futuros do grão se ajustavam ante as perdas dos últimos dias. No entanto, o otimismo com oferta e as informações de chuvas no Brasil voltaram a pesar.

"Os especuladores estão mantendo a sobre o mercado do café em Nova York com informações de grandes suprimentos de arábica com demanda insuficiente. O dólar americano mais forte também criou pressão de venda especulativa", disse o vice-presidente da Price Futures Group, Jack Scoville.

A GCA (Green Coffee Association), divulgou na última sexta-feira que os estoques de café verde dos Estados Unidos subiram 209,958 mil sacas de 60 kg no mês de fevereiro, totalizando 6,26 milhões de sacas. O Brasil é maior produtor e exportador de café do mundo e os Estados Unidos estão entre os principais compradores.

O Cecafé (Conselho dos Exportadores de Café do Brasil) no final da semana passada informou que as exportações totais de café (verde, solúvel e torrado & moído) em fevereiro totalizaram 3,4 milhões de sacas de 60 kg e receita de US$ 449 milhões. O volume no mês foi 36,3% superior a fevereiro de 2018.

Essa foi a segunda sessão consecutiva no mercado. No entanto, na semana passada, o mercado na ICE também seguiu trajetória baixista. Além das informações sobre ampla oferta global de café, os preços também repercutiam as chuvas no Brasil.

"Chuvas abundantes no Brasil estão beneficiando as lavouras de café no Brasil e empurraram os preços de arábica para baixo nesta segunda-feira", destacou o site internacional Barchart. Na véspera, o arábica havia recuado cerca de 100 pontos na Bolsa de Nova York.

Mercado interno

Acompanhando as quedas externas, os preços seguem caindo nas praças de comercialização do Brasil. Inclusive, chegando a abaixo de R$ 400,00 a saca em localidades na semana passada, segundo o Cepea (Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada). Os negócios continuam lentos.

O café tipo cereja descascado registrou maior valor em Guaxupé (MG) com saca a R$ 423,00 – estável. A maior oscilação no dia ocorreu em Espírito Santo do Pinhal (SP) com avanço de 2,44% e saca a R$ 400,00.

O tipo 4/5 registrou maior valor de negociação em Franca (SP) com saca a R$ 400,00 – estável. A oscilação mais expressiva ocorreu em Poços de Caldas (MG) com avanço de 0,51% e saca cotada a R$ 388,00.

O tipo 6 duro registrou maior valor de negociação em Vitória (ES) com saca a R$ 442,00 - estável. A oscilação mais expressiva foi registrada na Média Rio Grande do Sul com queda de 1,27% e saca a R$ 390,00.

Na segunda-feira (18), o Indicador CEPEA/ESALQ do arábica tipo 6, bebida dura para melhor, teve a saca de 60 kg cotada a R$ 395,22 e queda de 0,94%.

» Clique e veja as cotações completas do café

Por: Jhonatas Simião
Fonte: Notícias Agrícolas

Nenhum comentário