Café: NY encerra mais uma sessão com baixas; principais contratos tem quedas de mais de 400 pontos

Publicado em 13/01/2020 16:56
728 exibições

LOGO nalogo

O mercado futuro do café arábica voltou a registrar baixas expressivas na Bolsa de Nova York (ICE Future US). Na sessão desta segunda-feira (13) os principais contratos encerraram as negociações com quedas de até 440 pontos. 

Março/20 registrou desvalorização de 440 pontos, cotado a 114,55 cents/lbp, maio/20 registrou a mesma devalorização, cotado a 116,90 cents/lbp, julho/20 teve baixa de 435 pontos, cotado a 119,25 cents/lbp e setembro/20 encerrou as negociações com baixa de 435 pontos e valendo 121,35 cents/lbp. 

Sites internacionais continuam destacando que as estimativas divulgadas nos últimos dias é um dos principais motivos para as quedas nos preços. 

"As perspectivas para a forte produção brasileira de café estão pesando nos preços do café. A Ecom Trading, do Brasil, previu na quinta-feira passada que a produção de café 2020/21 do Brasil aumentará + 23%  para 70 milhões de sacas, contra uma estimativa de 56-58 milhões de sacas em 2019/20, uma vez que o clima favorável impulsiona o desenvolvimento do café", destacou o site internacional Barchart em sua análise diária.  

No Brasil, o mercado interno acompanhou o exterior e também registrou quedas nas principais praças produtoras do país, confira: 

O tipo 4/5 registrou baixa de 1,96%, cotado a R$ 500,00 em Poços de Caldas/MG, Franca/SP´também teve baixa de 1,96%, cotado a R$ 500,00 e Varginha/MG manteve a estabilidade por R$ 500,00.

O tipo 6 duro registrou baixa de 1,94% em Guaxupé/MG, cotado a 506,00, Poços de Caldas/MG teve baixa de 2%, negociado a R$ 490,00, Patrocínio/MG registrou desvalorização de 3,06%, cotado a R$ 475,00 e Franca/SP registrou baixa de 2%, encerrando o dia por R$ 490,00. 

O tipo cereja descascado também registrou baixas nas principais praças produtoras do país. Em Guaxupé/MG a desvalorização foi de 2,67%, valendo R$ 546,00. Poços de Caldas/MG registrou baixa de 1,75%, valendo R$ 560,00 e Patrocínio/MG encerrou as negociações por R$ 525,00, com desvalorização de 2,78%.

>> Veja mais cotações aqui

Por:
Virgínia Alves
Fonte:
Notícias Agrícolas

4 comentários

  • Marcos Vinícios contarini Cachoeiro de Itapemirim - ES

    Gente,acorda, não tem mais jeito, vamos arrancar o café e partir para outras culturas como laranja , limão, abacate, etc... aí eles vão comprar café no Saara, pois café adora seca...

    2
  • Rodrigo Polo Pires Balneário Camboriú - SC

    Quinta feira sai o levantamento café da Conab, o primeiro de uma série de 4 anuais.... É de fundamental importância que os produtores rurais façam o cadastro no site da conab para receber os informativos da companhia pública. Não tem o menor sentido reclamar sem participar, quer dados melhores? Mais acertados? Participe, essa companhia é sua e não dos burocratas.... https://www.conab.gov.br/conab-em-foco

    0
  • Moacir lopes Araxa - MG

    Se na próxima safra os números chegarem próximos a 70 milhões de sacas, ok. Parabéns pela previsão. Mas se forem bem a baixo e essa previsão se confirmar como só um chute irresponsável, o produtor, além do preço de venda, vai precisar olhar o comprador e para algumas Trades fazer questão em não vender.

    0
  • Jair Del Cól Valinhos - SP

    Uma agência irresponsável, sem base alguma, anuncia uma previsão (chute) de safra, 2019-2010 de 70 milhões de sacas. Isso derruba os preços como nos últimos anos. Erraram feio no ano passado e ninguém foi responsabilizado.

    1
    • Carlos Rodrigues

      Nasce café ate debaixo de pedra... pelo visto...

      1