Publicidade

Incaper apresenta Indicação Geográfica de Cafés Especiais do Espírito Santo durante evento em Vitória

Publicado em 04/08/2021 17:08 158 exibições

Na manhã dessa terça-feira (03), o Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural (Incaper) participou da entrega das Indicações Geográficas do Café Arábica do Caparaó e das Montanhas, além do Café Conilon do Espírito Santo. O evento aconteceu no Plenário Dirceu Cardoso, na Assembleia Legislativa do Estado do Espírito Santo (Ales), em Vitória.

A IG engloba produtos ou serviços, também previstos na legislação, que têm origem determinada e qualidades vinculadas à origem, sejam elas advindas do saber-fazer, da história, cultura ou fatores naturais. Atualmente, o Estado tem oito Indicações Geográficas registradas, sendo Indicações de Procedência: as Panelas de Barro de Goiabeiras, o Mármore de Cachoeiro de Itapemirim, o Cacau em amêndoas de Linhares, o Inhame de São Bento de Urânia, o Socol de Venda Nova do Imigrante e o Café Conilon do Espírito Santo. Já as Denominações de Origem são para os Cafés Arábica das regiões das Montanhas do Espírito Santo e do Caparaó.

Para o diretor-presidente interino do Incaper, Abraão Carlos Verdin Filho, o uso do selo de Indicação Geográfica é um instrumento importante para assegurar os diferenciais que valorizam um produto, além de ajudar no desenvolvimento de cada uma dessas regiões.

"No cenário cafeeiro, essa conquista promove a sustentabilidade e a competitividade e traz inúmeros benefícios econômicos para os produtores. O Incaper não mede esforços para continuar a desenvolver trabalhos de melhoria da qualidade e da produtividade dos cafés especiais e esse reconhecimento vai contribuir, ainda mais, para a promoção e valorização do Espírito Santo no cenário nacional e internacional", completou Verdin Filho.

Segundo o gerente de Assistência Técnica e Extensão Rural (Ater) do Incaper, o extensionista Fabiano Tristão Alixandre, a Indicação Geográfica “abre portas” para os cafeicultores. “Existe a possibilidade de alcançar mercados com o melhor valor agregado para o produtor, dando mais rentabilidade a sua produção e, ao mesmo tempo, seguindo os protocolos de adequação socioambiental e de boas práticas agrícolas na propriedade, para que ele consiga inserir-se nesse contexto com um café mais sustentável e padronizado na região”, enfatizou.

Publicidade

O engenheiro agrônomo Rodrigo da Silva Dias, presidente da Associação dos Produtores de Cafés Especiais das Montanhas do Espírito Santo (Acemes), lembrou algumas das principais vantagens da Indicação Geográfica.

“Ela promove a proteção e a promoção das marcas de cada região, com controle de origem e rastreabilidade, padroniza a produção, apresenta a segurança dos alimentos, busca mercados com maior valor agregado, dando notoriedade da região nacional e internacionalmente, entre outros fatores que, ao respeitar as boas práticas agrícolas e de sustentabilidade, fomentam o nosso turismo regional e valorizam os produtores rurais também”, pontuou Silva Dias.

A iniciativa do evento foi da Comissão de Agricultura, Silvicultura, Aquicultura e Pesca da Ales, que teve a intenção de reforçar a importância da Indicação Geográfica (IG) para que o Espírito Santo se torne, cada vez mais, uma forte referência em produção de cafés especiais. Na ocasião, estiveram presentes entidades públicas e privadas do setor cafeeiro capixaba, instituições bancárias, cooperativas agrícolas e produtores rurais.

“Para mim, a conquista da Identificação Geográfica nessas regiões agrega valor ao nosso café, além de mostrar que o nosso Estado produz café de qualidade. Isso nos coloca em vantagem no cenário nacional e internacional, pois nossos produtores têm investido cada vez mais na qualidade do nosso produto”, disse a presidente da Comissão, a deputada estadual Janete de Sá.

Tags:
Fonte:
Incaper

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

Ao continuar com o cadastro, você concorda com nosso Termo de Privacidade e Consentimento e a Política de Privacidade.

0 comentário