Atenção no café: Consultoria monitora massa de ar frio e destaca risco de geada subindo até o Cerrado

Publicado em 10/05/2022 12:05 e atualizado em 10/05/2022 12:56 4568 exibições
Memória muito recente do ano passado traz muita preocupação para o setor, mas StoneX destaca que momento agora é apenas de monitoramento

Logotipo Notícias Agrícolas

As previsões meteorológicas mais recentes indicam que a entrada de uma nova massa de ar frio nos próximos dias vai derrubar as temperaturas em boa parte do Centro-Sul do Brasil. O alerta do frio mais intenso chamou atenção dos cafeicultores nas principais áreas de produção do país, e na manhã desta terça-feira (10) a StoneX Brasil divulgou oficialmente que é este é o momento de monitoramento do frio nas áreas cafeeiras do país.

De acordo com dados levantados pela consultoria, as temperaturas começam a cair em áreas de café a partir do dia 18 de maio e o potencial risco de geada, neste momento, aparece para áreas da Mogiana, sul de Minas Gerais e chegando em áreas do Cerrado Mineiro. As previsões são baseadas na rodada do modelo NOAA/NCEP/EMC (GFS: Global Forecast System). 

A Stonex divulgou os municípios produtores que correm o risco de receber o frio mais intenso. Na Mogiana, as temperaturas podem ficar abaixo dos 5 graus nas cidades de Caconde, Espírito Santo do Pinhal, Franca e em Pedregulho. De acordo com a rodada de hoje do modelo, o sul de Minas Gerais - maior área de produção de arábica do Brasil seria a mais impactada com 11 cidades na lista, sendo elas: Alfenas, Cabo Verde, Caldas, Carmo da Cachoeira, Guaxupé, Ibiraci, Machado, Poços de Caldas, Santa Rita do Sapucaí, São Sebastião do Paraíso e Varginha. 

Os dados divulgados pela consultoria chamam atenção pelo avanço do ar frio também para áreas do Cerrado Mineiro. Os municípios de Patrocínio e Serra do Salitre aparecem como áreas de risco. Patrocínio é o maior município produtor de café arábica do Brasil e na região sul do município, os cafeicultores ainda sentem os impactos da geada que ocorreu em julho do ano passado. 

Veja as informações divulgadas pela StoneX nesta manhã:
 

STONEEEEEEX

Fernando Maximiliano, analista de mercado StoneX, destaca ao Notícias Agrícolas que as previsões meteorológicas acendem um novo alerta no setor já que após os três episódios de geada do ano passado, o ano de 2022 por si só já é mais "tenso" para o produtor de café e também para operadores na Bolsa de Nova York (ICE Future US). 

O analista acrescenta que caso as previsões se confirmem, o mercado em Nova York pode voltar a reagir as condições do parque cafeeiro. A partir de agora, segundo a consultoria, com o mercado já precificado com os problemas climáticos (seca e geada) do ano passado, as atenções se voltam para o inverno no Brasil, principalmente pela memória muito recente do setor. "As previsões de longo prazo, acima de 48 horas, como a apresentada acima, têm alto grau de incerteza e podem mudar ao longo dos próximos dias", acrescenta Maximiliano. 

"A mensagem que precisamos passar neste momento é que chegou a hora de monitorar as condições climáticas e o risco de frio mais intenso. Se o frio se confirmar e a geada acontecer, naturalmente o mercado tende a operar com base nisso e registrar novas altas", afirma. Para o produtor, o analista que também é engenheiro agrônomo explica que não há o que ser feito neste momento, mas que o monitoramento tanto para venda, como para acompanhando da produção é fundamental. 

Por:
Virgínia Alves
Fonte:
Notícias Agrícolas

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

Ao continuar com o cadastro, você concorda com nosso Termo de Privacidade e Consentimento e a Política de Privacidade.

0 comentário