Mesmo com queda na produção da Colômbia, café tem dia de desvalorização e encerra abaixo de 220 cents/lbp

Publicado em 06/07/2022 17:06
Em Londres, conilon permaneceu estável e físico teve dia de ajustes nos preços

Logotipo Notícias Agrícolas

O mercado futuro do café arábica encerrou as negociações desta quarta-feira (6) com desvalorização técnica para os principais contratos na Bolsa de Nova York (ICE Future US). 

Setembro/22 teve queda de 185 pontos, negociado por 219,20 cents/lbp, dezembro/22 teve baixa de 180 pontos, cotado por 216,25 cents/lbp, março/23 registrou queda de 170 pontos, valendo 213,45 cents/lbp e maio/23 teve queda de 170 pontos, negociado por 211,65 cents/lbp. 

O mercado de café voltou a cair mesmo após a Colômbia divulgar redução na produção no mês de junho. De acordo com dados da Federação Nacional dos Cafeicultores (FNC) o país vizinho produziu 10% a menos no mês passado. Há alguns meses a Colômbia vem reportando produção abaixo do esperado, resposta ao clima adverso com excesso de chuva no país. 

Também ajudando a pressionar as cotações neste pregão, o dólar operou em alta e encerrou o pregão com avanço de 0,64% e negociado por R$ 5,42 na venda. 

No Brasil, a Cooxupé divulgou que a colheita chegou em 25% nos últimos dias. Apesar do avanço, os trabalhos continuam atrasados em relação aos últimos anos. As principais regiões produtoras de arábica enfrentam maturação tardia na safra 22, também resposta do clima fora das condições ideais. 

Na Bolsa de Londres, o café tipo conilon encerrou com preços próximos da estabilidade. Setembro/22 teve queda de US$ 6 por tonelada, valendo US$ 1955, novembro/22 teve queda de US$ 6 por tonelada, negociado por US$ 1956, janeiro/23, março/23 teve queda de US$ 8 por tonelada, valendo US$ 1947 e maio/23 teve desvalorização de US$ 8 por tonelada, valendo US$ 1945. 

No Brasil, o mercado físico teve um dia de variação mista nas principais praças de comercialização do país. Focado na colheita, o produtor continua fechando novos negócios a medida que precisa fazer caixa. 

O tipo 6 bebida dura bica corrida teve alta de 0,36% em Guaxupé/MG, negociado por R$ 1.375,00, Poços de Caldas/MG teve alta de 0,73%, valendo R$ 1.380,00, Machado/MG teve alta de 0,73%, cotado por R$ 1.380,00, Franca/SP teve alta de 1,45%, cotado por R$ 1.400,00 e Araguarí/MG teve queda de 1,45%, cotado por R$ 1.360,00.

O tipo cereja descascado teve alta de 0,35% em Guaxupé/MG, negociado por R$ 1.450,00, Poços de Caldas/MG teve alta de 0,68%, cotado por R$ 1.490,00, Varginha/MG teve queda de 0,68%, cotado por R$ 1.450,00 e Patrocínio/MG manteve a estabilidade por R$ 1.410,00. 

Por:
Virgínia Alves
Fonte:
Notícias Agrícolas

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

Ao continuar com o cadastro, você concorda com nosso Termo de Privacidade e Consentimento e a Política de Privacidade.

0 comentário