Frigorífico de Cabreúva (SP) descumpre decisão judicial de suspender as atividades e funcionários protestam

Publicado em 22/06/2020 15:06 e atualizado em 23/06/2020 08:50 1453 exibições
Unidade da empresa, que conta com 800 funcionários, deveria estar fechada desde o último dia 16; juiz quer apuração sobre crime contra a saúde pública

LOGO nalogo

Desde o último dia 16, após decisão judicial, o frigorífico Flamboiã, em Cabreúva, São PAulo, deveria estar com as atividades suspensas por, no mínimo, 14 dias. A medida veio após o Ministério Público do Trabalho solicitar a medida à Justiça do Trabalho devido a contaminações por coronavírus entre funcionários. Entretanto, a empresa não cumpriu a decisão, e na manhã desta segunda-feira (22), funcionários da unidade fizeram protesto.

Segundo informações do G1, a manifestação ocorreu porque funcionários que haviam sido diagnosticados com a Covid-19 estariam trabalhando normalmente, e que a empresa não teria fornecido exames a todos os colaboradores para poderem ocupar os postos de trabalho. 

Na sexta-feira (19), segundo o Ministério Público do Trabalho de Campinas (SP), juiz da Vara do Trabalho de Itu, Levi Rosa Tome, proferiu uma decisão determinando que o Ministério Público Estadual seja oficiado para apurar suposto crime contra a saúde pública cometido pelos dirigentes do Frigorífico Flamboiã, de Cabreúva (SP), por expor centenas de funcionários ao contágio da Covid-19.

Além disso, a decisão aumentou de R$ 10 mil para R$ 100 mil a multa diária pelo descumprimento de cada item da liminar, “sem prejuízo da possibilidade de interdição do estabelecimento”, no caso de novo descumprimento.

No documento, Tome citou os resultados do relatório da Vigilância Sanitária (Visa) municipal, que constatou as mesmas irregularidades apontadas em vistorias anteriores. “O Relatório é claríssimo: nenhuma das determinações judiciais foi cumprida; o local de maior risco de contágio no município é o estabelecimento da empresa reclamada; há flagrante contrariedade às normas sanitárias vigentes. A conduta da empresa, além de demonstrar descaso para com a ordem judicial, parece configurar crime contra a saúde pública, o que deverá ser aferido pelo juízo competente”, escreveu.

Segundo informações do G1, dados da Visa de Cabreúva até esta segunda-feira (22) apontam para 57 funcionários com diagnóstico positivo para a doença e duas mortes por Covid-19 de familiares de funcionários confirmadas. O quadro funcional da Flamboiã Alimentos é de cerca de 800 pessoas.

O QUE DIZ A FLAMBOIÃ ALIMENTOS

"As denúncias não são verdadeiras. 

A empresa vem tomando todas as medidas determinadas pelos órgãos públicos responsáveis pela gestão da pandemia, inclusive a de afastar pessoas contaminadas.

Também está cumprindo as determinações oriundas do judiciário.

Por isso, a empresa Flamboiã alimentos repudia as denúncias, especialmente de que há pessoas doentes trabalhando.

A Flambã esclarece, ainda, que tem decisão judicial que a autoriza manter serviços emergenciais, e assim está procedendo, nos exatos limites da decisão. 

A Flamboiã Alimentos, uma das maiores fontes de renda e de emprego no município de cabreúva, continuará cumprindo suas obrigações legais e sociais". 

 

 

Tags:
Por:
Letícia Guimarães
Fonte:
Notícias Agrícolas + G1

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário