México importou 46 mil toneladas de ovo em 2013

Publicado em 10/01/2014 07:05 307 exibições

O nível de importação de ovos em 2013, no México, subiu a níveis historicamente impensados. Tudo porque o país vive, desde 2012, uma grave crise por causa da gripe aviária. A doença chegou com tudo no país cujo consumo de ovos é o maior do mundo, e causou estragos de toda ordem. Um deles foi a baixa na produção de ovos, o que levou os mexicanos a terem que importar o produto.

Segundo fontes da imprensa mexicana, o país corre mesmo o risco de se tornar claramente um importador de ovos, depois de ostentar um setor avícola produtivo capaz de abastecer totalmente o mercado nacional.

Os números do setor de comércio exterior da Secretaria de Economia do país demonstram a tendência para essa realidade: em 2011, o país importou apenas 37 toneladas de ovo fresco; em 2012, esse número ficou em 13 mil toneladas e, em 2013, a balança comercial registrou importação de 46 mil toneladas do produto.

De acordo com a União Nacional de Avicultores do México, a UNA, a influenza aviária provocou a queda da produção nacional de ovos entre 2011 e 2012: de 2 milhões, 528 mil toneladas, em 2011, a produção chegou 2 milhões e 386 mil toneladas, em 2012. Foi quando o mercado local abriu as portas à importação. Segundo a diretoria da entidade, havia ainda um certo otimismo no início de 2013, pois a produção de ovos voltou a reagir, mostrando-se praticamente recuperada. Ainda assim, a importação precisou seguir crescendo para atender o exigente mercado interno mexicano.

Pablo Sherwell, analista sênior da empresa Rabobank Internacional, explicou, em entrevista à imprensa, que as importações de ovos terão um impacto positivo no mercado, uma vez que permitirá maior estabilidade e equilíbrio aos preços, o que, a seu ver, é benéfico, especialmente para o consumidor. O analista também acredita na tendência de aumento da importação, já que o ovo continuará sendo a principal fonte de proteína na preferência do povo mexicano. Diz ele que a importação de ovo fresco – no médio e longo prazos – não retornará aos níveis antigos já registrados pelo mercado mexicano, anteriores à influenza aviária. “A importação de ovo chegou para ficar”, assegurou Sherwell.

Não é o que pensa Francisco Gurría, coordenador de pecuária da Secretaria de Agricultura do México. Segundo ele, não há razões para se pensar no crescimento da importação permanente de ovos no México. O coordenador de pecuária avalia que o volume atual de produção não representa um risco para a indústria avícola mexicana. E sinalizou que o governo pretende investir no setor. Segundo ele, o setor avícola receberá incentivos para crescer; o governo federal investirá 500 milhões de dólares para que a indústria avícola possa incrementar sua oferta de produtos no mercado.

Tags:
Fonte:
A Hora do Ovo

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário