Frango: Com aumento de produção, mercado enfrenta situação desconfortável

Publicado em 23/04/2014 15:37 348 exibições

O aumento de produção faz com que o mercado do frango, apesar de estável em algumas regiões, enfrente uma situação desconfortável, sem força para que os preços possam reagir. É o que aponta o analista Fernando Henrique Iglesias, analista da consultoria Safras & Mercado.

O mercado externo não possui capacidade de absorver a produção excedente, o que faz com que esta produção circule no mercado interno. A interferência de outros estados em algumas praças faz com que os preços não encontrem possibilidade de alta, como é o caso do estado de São Paulo, que recebe a produção do Paraná. Os preços para o frango vivo em São Paulo estão estabilizados em R$2,40/kg.

A interferência de outros estados somente não é sentida no Rio Grande do Sul, cujas características de mercado são diferenciadas das outras regiões, especialmente por não absorver o excedente interno do país.

No entanto, a chegada da Copa do Mundo no Brasil promete um cenário animador para todo o setor produtivo. Iglesias aponta que o consumo atípico que será demandado pelo Mundial deve trazer valorização a todos os produtos. Desta forma, as cotações para o frango vivo devem encontrar momentos de maior valorização nos próximos meses.

O analista lembra que os produtores devem ter atenção aos preços dos grãos, que não encontram uma estabilidade que acompanhe o momento atual do mercado avícola. A atenção maior deve ser para o milho, que, devido à menor produção no Mato Grosso, apresenta preços bastante altos. Nesta quarta-feira (23), a saca de 60kg em Rondonópolis (MT) está sendo vendida a R$23,04.

Apesar de elevada, a produção brasileira deverá apresentar patamares inferiores aos previstos pelo Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) em novembro de 2013. O departamento revisou sua projeção para 12,7 milhões de toneladas, um volume menor do que o registrado no ano de 2011 (12,863 milhões de toneladas).

No Rio Grande do Sul, os preços retornaram a R$2,50/kg após uma alta de R$0,10 na última semana. Em Minas Gerais, após um período estável, os preços caíram R$0,10, registrando o valor de R$2,30/kg. Em São Paulo, após um valor praticado de R$2,55/kg em março, o preço está estabilizado em R$2,40/kg.

Tags:
Por:
Izadora Pimenta
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário