Suíno: Conforme esperado, preço do vivo sobe R$0,10 em SP

Publicado em 17/06/2014 13:26 e atualizado em 17/06/2014 14:41 328 exibições

Nesta quinta-feira, o suíno vivo apresentou uma alta expressiva em relação à última semana, sendo cotado agora a R$3,73/kg, R$0,10/kg a mais do que na bolsa anterior.

A alta já era prevista pelos criadores de suínos do estado, conforme disse o suinocultor Démetrius Napoleão Nápoles, de Monte Alegre do Sul (SP) ao Notícias Agrícolas na última semana, uma vez que a chegada do inverno e da Copa do Mundo ao Brasil colaboram para estimular a demanda do produto.

Enquanto isso, os produtores de suínos brasileiros também se mostram preocupados com a Diarreia Epidêmica Suína (PEDv). A preocupação com a ampliação de focos da PEDv no continente tem sido demonstrada pela Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA) desde março e agora é reiterada ao Ministério da Agricultura. A ABPA defendeu junto ao MAPA, meses atrás, a proibição da entrada de suínos vivos no Brasil, bem como de material genético do animal. O ministério optou, na ocasião, pela quarentena, enquanto a França se tornou o primeiro país a adotar a suspensão de importações de animais vivos. A preocupação agora se agrava após o surgimento de 45 focos na Colômbia.

“Quarto maior exportador mundial de carne suína e detentor de status elevado de qualidade do produto, o Brasil precisa proteger seus rebanhos, e essa é uma mensagem que tem sido reiterada de forma incessante pela ABPA”, destacou o presidente da entidade, Francisco Turra.

No entanto, a PEDv também deve ajudar a impulsionar as exportações brasileiras. Segundo a ABPA, a Rússia confirma a intenção de manter o Brasil como o seu provedor especial de carne suína. Em maio, liderou as vendas do Brasil em volume e receita. Na prática, os russos estão materializando a informação que transmitiram ao ministro da Agricultura, Neri Geller, no final de maio, que a Rússia terá necessidade urgente de carnes e que dará tratamento especial ao Brasil. A Rússia respondeu por 37,71% das exportações brasileiras de carne suína em maio. Ficou em primeiro lugar no ranking dos importadores, com 51,85% da receita do mês, seguida por Hong Kong, com 21,73%, e Angola, com 10,42%.

Confira os preços do suíno vivo nas principais praças nesta terça-feira (17):

Tags:
Por:
Izadora Pimenta
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário