Rebanho de matrizes suínas da China cresceu ligeiramente nos primeiros dois meses, diz ministério da agricultura local

Publicado em 18/03/2021 07:49 223 exibições

LOGO REUTERS

O rebanho de porcas da China cresceu 34,1% em fevereiro em relação ao mesmo mês do ano anterior e 1% em relação ao mês anterior, disse o Ministério da Agricultura e Assuntos Rurais na quinta-feira, apresentando uma perspectiva mais otimista do que o estimado por muitos analistas.

Leia Mais:

+ Peste Suína Africana vai seguir ditando o rumo do mercado global de carnes em 2021, aponta Rabobank

+ USDA: Produção de carne suína na China deve subir 14% em 2021, mas nível fica abaixo de época pré-PSA

O rebanho de porcas reprodutoras da China está sendo vigiado de perto depois que gerentes de fazendas, veterinários e analistas disseram que houve um alto índice de surtos de peste suína africana durante os meses de inverno.

A China produz cerca de metade dos porcos do mundo, mas a doença mortal dos suínos, a peste suína africana, matou cerca de metade de seu rebanho durante 2018 e 2019.

O ministério disse que quase se recuperou no final do ano passado, mas o ressurgimento da doença atrasaria a recuperação.

A Yongyi Consulting, sediada em Shandong, estimou que o rebanho de porcas tem diminuído a cada mês desde dezembro, com uma queda de 4,99% em janeiro e uma queda adicional de 4,68% em fevereiro.

O ministério disse em um comunicado que os estoques de porcas cresceram 1,1% e 1%, respectivamente, em janeiro e fevereiro.

Ele acrescentou que o rebanho total de porcas do país atingiu 95% dos níveis do final de 2017 no final de fevereiro, enquanto seu estoque de suínos permaneceu acima de 400 milhões de cabeças.

Fonte:
Reuters

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

Ao continuar com o cadastro, você concorda com nosso Termo de Privacidade e Consentimento e a Política de Privacidade.

0 comentário