Suinocultura independente: praças produtoras com preços mistos nesta quinta-feira (7)

Publicado em 07/04/2022 16:04 e atualizado em 08/04/2022 14:02
Lideranças apontam o enxugamento da produção como um dos fatores que têm mexido com o mercado

Logotipo Notícias Agrícolas

Nesta quinta-feira (7) o mercado da suinocultura independente registrou preços em diferentes direções, com destaque para altas nos preços em São Paulo e Santa Catarina. As lideranças das principais praças produtoras apontam que a estratégia de reduzir a produção passa a mexer com o mercado. 

Em São Paulo, de acordo com informações da Associação Paulista de Criadores de Suínos (APCS), houve alta, com o preço do animal vivo passando de R$ 5,97/kg vivo para R$ 6,13/kg vivo.

Os suinocultores catarinenses também viram o preços avançar nesta quinta-feira (7), saindo de R$ 5,15/kg vivo para R$ 5,27/kg. O presidente da Associação Catarinense de Criadores de Suínos (ACCS), LOsivanio de Lorenzi, pontua que haja uma especulação por parte de grandes empresas voltando a procurar suínos para comprar, mexendo com o mercado e traz uma perspectiva um pouco melhor. "Entretanto, este preço está longe dos R$ 9,00 que seria o ideal para ter algum lucro", disse.

No mercado mineiro, o preço ficou estável em R$ 5,80/kg vivo, com acordo entre suinocultores e frigoríficos, conforme com informações da Associação dos Suinocultores do Estado de Minas Gerais (Asemg).

"O mercado brasileiro está enxugando a oferta de suínos desde janeiro. O consumo da carne suína aqui em Minas, quando temos referência abaixo de R$ 6,00/kg é reconhecidamente aumentado, maximizado, portando, a demanda que já era muito boa. Esse movimento contínuo levou o estoque de animais nas granjas a níveis ainda mais baixos e, quando o ciclo se inverte, primeiro por alguma alteração de expectativas ou novo evento da vida real, aquela oferta que era anteriormente abundante se retrai automaticamente", disse Alvimar Jalles, consultor de mercado da entidade.

Ele ainda aponta que não há nada de conspiração ou alguma injustiça de algum elo da cadeia. São só os eventos normais de mercado que funcionam eterno movimento pendular.

No estado do Paraná, Considerando a média semanal (entre os dias 31/03/2022 a 06/04/2022), o indicador do preço do quilo vivo do Laboratório de Pesquisas Econômicas em Suinocultura (Lapesui) da Universidade Federal do Paraná (UFPR) teve queda de 3,79%, fechando a semana em R$ 4,99/kg.

"Espera-se que na próxima semana o preço do suíno vivo apresente queda, podendo ser cotado a R$ 4,65/kg", informou o reporte do Lapesui.

Por:
Letícia Guimarães
Fonte:
Notícias Agrícolas

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

Ao continuar com o cadastro, você concorda com nosso Termo de Privacidade e Consentimento e a Política de Privacidade.

0 comentário