Publicidade

Trigo: Falta de qualidade do grão ofertado prejudica preços

Publicado em 29/11/2012 11:56 418 exibições
A escassez de trigo de qualidade tem sustentado os preços do trigo no mercado internacional e interno. Na sessão de ontem (28) na Bolsa de Chicago, o contrato dezembro/12 encerrou cotado a US$ 8,76 por bushel uma alta de 3,00 pontos. No cenário internacional, a demanda aquecida continua, bem como os problemas na oferta depois das perdas em nações produtoras do grão como Ucrânia, Rússia, Austrália e Estados Unidos. 

Do mesmo modo, o preço semanal recebido pelos produtores do Paraná pela saca de 60 kg se mantém acima de R$ 33,00, desde setembro, conforme apurou o boletim informativo do Departamento de Economia Rural (Deral) da Secretaria de Estado da Agricultura e do Abastecimento. 

A colheita da safra de trigo paranaense deve terminar nos próximos dias, e há uma antecipação em comparação com anos anteriores. Esse cenário é reflexo da redução da área plantada no PR e ao encurtamento da fase de desenvolvimento em função do tempo mais seco entre a segunda semana de setembro e a primeira semana do outubro. Dos 775 mil hectares plantados no estado faltam cerca de mil hectares a serem colhidos. 

Além disso, a ausência de chuvas gerou alguns problemas de produtividade, especialmente na região sul e oeste do estado. Em relação ao PH, os lotes de trigo apresentam níveis de 78, o que indica que o cereal paranaense tem boa qualidade. 

Diferentemente, a produção gaúcha de trigo sofre com os baixos índices do PH em função dos problemas climáticos. A geada e o excesso de chuvas prejudicaram a qualidade do trigo do Rio Grande do Sul. Segundo Hamilton Jardim, presidente da Comissão Trigo da Farsul (Federação da Agricultura e Pecuária do Rio Grande do Sul), o PH permanece balizando os preços do trigo. E os produtores gaúchos que colheram o cereal com PH abaixo de 72 recebem R$ 22,00 pelo produto.

“A partir do PH 78 há uma tabela de depreciação que a cada ponto diminuído do índice, o produtor perde R$ 1,00 na comercialização. Com isso, no estado a saca do trigo está sendo comercializada a R$ 30,00”, diz Jardim.
 
O presidente também destaca que a quebra na safra de outros países produtores como Rússia, Ucrânia e as perdas registradas na planície norte-americana, devido às adversidades climáticas, totaliza uma diminuição da oferta mundial de trigo em torno de 50 milhões de toneladas. 

“Também há uma redução de oferta no MERCOSUL e no Brasil que é muito grave e essa situação deve ser refletida nos preços a serem pagos pelo consumidor na padaria, mas nem sempre reflete na renda do produtor no campo”, relata o presidente.
Tags:
Por:
Fernanda Custódio
Fonte:
Notícias Agrícolas

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

Ao continuar com o cadastro, você concorda com nosso Termo de Privacidade e Consentimento e a Política de Privacidade.

0 comentário