Trigo na Semana: Mercado espera por safra nacional, que sofreu com geadas dos últimos dias

Publicado em 26/07/2013 16:20
621 exibições

O mercado de trigo espera agora pela safra nacional, que sofreu bastante com as geadas provocadas pela massa de ar polar que chegou do sul do país nesta semana. O oeste do estado do Paraná poderá contar com uma perda de 100% de suas lavouras em algumas localidades, pois o trigo se encontrava em uma fase mais adiantada de desenvolvimento. No Rio Grande do Sul, no entanto, não houve danos, uma vez que as lavouras se encontram em fase bastante inicial.

Na última quinta-feira (25), 1.550 toneladas de trigo foram 100% comercializadas em um leilão realizado pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), com ágio de 20,99% em relação ao preço de abertura e o de fechamento. Cerca de R$1,37 milhão de reais foram arrecadados pela companhia, que cumpriu o objetivo de abastecer as indústrias moageiras, que sofriam com a falta do cereal. A Conab volta a abastecer seus estoques em agosto.

No entanto, o governo mostra-se preocupado com o abastecimento interno para o primeiro semestre de 2014, acreditando que será necessária uma intervenção no mercado para segurar os preços. Com o bloqueio das exportações Argentinas, são demandados trigo dos Estados Unidos e do Canadá para equilibrar o mercado. Para viabilizar essas importações, o governo também ampliou, de 31 de julho para 30 de agosto, o prazo para importação de trigo de fora do Mercosul com alíquota zero.

No Rio Grande do Sul, o plantio foi concluído ao longo da semana, com a contribuição das condições metereológicas. A umidade no solo propiciou boas condições para as sementes e para o desenvolvimento inicial das lavouras, que foram consideradas boas, com pouca incidência de pragas, segundo levantamento da Emater/RS.

Segundo Gabriel Ferreira, da AF News, a perda das lavouras no Paraná ainda irá gerar grande impacto na oferta do trigo, pois, apesar de números ainda não terem sido contabilizados, estima-se uma redução na produção do estado de 52%. A estimativa de produção do Paraná, antes dos impactos climáticos, era de 6 milhões de toneladas, uma produção acima da demanda do estado, que é de menos de 2 milhões de toneladas.

Ferreira apontou também que o ano é de bons preços para o trigo. "Quem conseguir colher vai ter um preço bem acima do que teria com uma safra cheia", disse o analista, em entrevista ao programa Mercado & Cia, do Canal Rural.

O último relatório do Departamento de Economia Rural (Deral) da Secretaria de Estado da Agricultura e Abastecimento (Seab) do Paraná apontava para uma alta de 20% na área destinada ao cultivo do trigo no estado, passando de 782,30 mil hectares para 940,99 mil hectares.

Tags:
Por: Izadora Pimenta
Fonte: Notícias Agrícolas

0 comentário