Preços do trigo podem cair com aumento da produção mundial

Publicado em 06/08/2013 14:32
628 exibições

O banco Standard Chartered cortou a sua previsão para os preços futuros do trigo. A baixa veio com as estimativas maiores para a safra australiana e com as boas expectativas para a nova safra dos Estados Unidos do banco da Austrália e Nova Zelândia (ANZ).  O corte foi de R$ 0,65 por bushel e a instituição aposta ainda em preços menores também para o milho. 

"Com um clima normal no mês crítico de julho e uma visão igualmente positiva para agosto, juntamente com a melhoria da umidade do solo no Centro-Oeste dos EUA, os nossos temores de uma deterioração repentina no clima durante o verão foram dissipados", diz o analista da Standard Chartered, Abah Ofon.

A previsão do banco da Austrália e Nova Zelândia para a safra australiana de trigo é de 26,5 milhões de toneladas, dadas as condições climáticas melhores do que o normal no Sudeste do país, que devem compensar o clima seco na região Oeste. A atualização do banco ANZ para colheita de trigo atingiu estimativas acima do USDA (Departamento de Agricultura dos EUA) e da Abares, o departamento agrícola da Austrália.

O ANZ advertiu que um clima extremamente seco em junho no oeste da Austrália, seguido por mais secas em julho em algumas áreas, havia cortado as perspectivas para safra do estado, normalmente a maior do país, de 9 milhões de toneladas para 7,9 milhões de toneladas. “No entanto, a produção de trigo no Sudeste da Austrália pode conseguir voltar aos níveis de 2011 de 13,8 milhões de toneladas, o que seria o segundo maior recorde de produção”, afirma Paul Deane, ecnomista do ANZ.

O analista de mercado Richard Feltes, da corretora RJ O'Brien, disse ainda que outros países grandes produtores do grão também poderiam registrar uma recuperação de suas safras, como o Canadá e algumas nações da Europa, por exemplo. "O comércio está se preparando para um provável ajuste ascendente em 2013 para as previsões de produção de trigo no Canadá, União Europeia e EUA na próxima semana, quando o USDA divulga um novo relatório”.

No Canadá, as autoridades da província de Alberta, afirmaram na semana passada que com base nas condições atuais da safra os rendimentos podem ser de 10% a 20% acima da média em longo prazo para os cereais de primavera.

Com informações do site internacional Agrimoney. 

Tags:
Por: Paula Rocha
Fonte: Notícias Agrícolas

0 comentário