Fertilizante não é tudo igual

Publicado em 03/02/2020 09:42
5190 exibições

Mosaic bags

Quando pensamos em altas produtividades, existem vários fatores que podem influenciar a cultura, como por exemplo, a escolha de uma boa semente, controle de pragas e doenças durante todo o ciclo, um bom manejo de solo e lógico, um clima favorável para o desenvolvimento da cultura e enchimento do grão.

Para um bom manejo de solo, é fundamental saber o que o solo já tem de nutrientes disponíveis, e o quanto é preciso adubar para explorar o máximo potencial e colher altas produtividades. Você tem feito análise do seu solo para saber como ele está? Sabe quais nutrientes e quais doses precisam ser aplicadas?

Geralmente contamos com a ajuda de um profissional, pode ser um consultor agrícola, um técnico da cooperativa, um agrônomo da revenda, que nos ajuda a calcular a necessidade de nutrientes para cada cultura. E essa pessoa geralmente nos fala: você precisa aplicar X de Fósforo, X de Potássio, X de Nitrogênio, e X de Enxofre e X de Micronutrientes.

O que eles geralmente não falam é que existe diferença no produto que você vai aplicar. Existem os fertilizantes que chamamos de convencionais, como o MAP, DAP, SuperSimples, que são utilizados para suprir a necessidade de Fósforo. Temos o Cloreto de Potássio para suprir a necessidade de potássio e a Uréia, Sulfato e Nitrato de amônio para as necessidades de Nitrogênio. E quando vamos negociar o fertilizante pensando na necessidade de Fósforo, Potássio e Nitrogênio, utilizamos formulações que na verdade são esses produtos misturados.

Esses produtos vão suprir a necessidade da sua cultura? Pensando somente em quantidade de nutrientes, com certeza. Isso quer dizer que a planta vai absorver esses nutrientes durante todo o ciclo? Não! E é por isso que eu vamos abordar o tema:  Fertilizantes com alta tecnologias.

Para garantir que a planta aproveite ao máximo o NPK + Micros, existem alguns fertilizantes que utilizam tecnologia de ponta na sua produção, como o MicroEssentials, esse fertilizante possui Nitrogênio amoniacal, Fósforo de alta solubilidade e duas formas de Enxofre no mesmo grânulo com alta qualidade física, que ajuda na distribuição uniforme e melhor rendimento operacional.

O Fósforo de alta solubilidade garante  doses adequadas do nutriente na semeadura, contribui para um arranque inicial de alta performance, garantindo nutrição mais eficiente das cultivares que possuem grande demanda de fósforo já no período vegetativo.

O MicroEssentials conta ainda com o Enxofre, nutriente essencial necessário durante todo ciclo. A maioria dos fertilizantes possui sulfato ou enxofre elementar em sua formulação. O MicroEssentials possui enxofre nas duas formas para que a cultura tenha um fornecimento IMEDIATO vindo do sulfato e um fornecimento GRADUAL vindo do enxofre elementar.

Todas as características que mostramos, levam a diversos benefícios como podemos ver aqui, começando pela excelente qualidade física de um produto estável, seco e solto, sendo muito Fácil Para Se Manusear. A estabilidade também faz com que o MicroEssentials apresente uma Ótima Fluidez tanto na aplicação no sulco, quanto a lanço, permitindo regulagens duradouras, sem necessidade de novas paradas para limpezas ou novas regulagens. Temos também Menos Paradas Para Abastecimento, devido a sua elevada qualidade física e também elevada concentração.

Por ser um fertilizante com Nitrogênio, Fósforo e Enxofre no mesmo grânulo, a distribuição é muito uniforme, o que levará a uma Lavoura Mais Homogênea. E assim, teremos uma lavoura com Melhor Pegamento De Florada, maior sanidade, Maior Enchimento E Peso De Grãos, portanto plantas com maior potencial produtivo.

Contamos com mais de 10 anos de resultados comprovados em todas as regiões do Brasil. Clique no link e veja como é possível alcançar altas performances e altas rentabilidades.

www.microessentials.com.br 

Fonte:
Mosaic

1 comentário

  • Gustavo Silva risso Cornélio Procópio - PR

    Boa noite , qual seria a diferença da tecnologia microessential da tecnologia kmag??

    1
    • Paulo Roberto Rensi Bandeirantes - PR

      Sr. Gustavo, cada empresa descobre um método de industrialização e, registra a patente. A partir daí, coloca as máquinas para produzir e ganhar dinheiro. ... ... ... ... ... Existe uma corrente acadêmica que cita: Toda propriedade rural é um organismo vivo e, deve ser tratada como tal ... DE FORMA ÚNICA !!! ... ... ... Ou seja, a receita para uma propriedade do mesmo bioma; cerrado, por exemplo... Não serve para outra propriedade pois, são inúmeros as variáveis que se diferem. ... ... ... No século XIX, Justus Von Liebig, formulou a Lei do Mínimo, que quer dizer: ... Que o desenvolvimento de uma planta será limitado pelo nutriente faltoso ou deficitário. ... ... Em outras palavras, todos os macronutrientes se encontram nos níveis estabelecidos como alto. Mas, existe um micronutriente que se encontra no nível deficitário. ... Pronto está feita a encrenca. Os processos metabólicos dessa planta vai sofrer um desiquilíbrio e, com certeza irá influenciar a produção. ... ... ... Um exemplo: O Boro (B) é um micronutriente que atua na velocidade da formação e translocação dos produtos metabolizados. Sua deficiência, diminui a velocidade da formação das proteínas, com isso o percentual de compostos menores aumenta dentro da planta e, esses compostos são passiveis de serem degradados por microparasitas e insetos. A proteína eles não conseguem degradar. Ou seja uma planta com teor normal de proteína é uma planta, sob nosso ponto de vista saudável. Mas para as doenças e os insetos ela é intragável, por isso não é atacada. ... ... ... No dia que os pesquisadores derem prioridade para esse principio, penso, vai sobrar mais dinheiro no bolso do produtor rural. ....

      1