Sem Faesp, SRB e indústria assinam estatuto de formação do Consecitrus

Publicado em 19/04/2012 14:10 e atualizado em 19/04/2012 16:14 598 exibições
Após dois anos de negociações, a indústria processadora de suco de laranja e a Sociedade Rural Brasileira (SRB) assinaram, enfim, o estatuto de formação do Consecitrus. A Faesp (Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de São Paulo) foi excluída da entidade, medida que foi tomada como represália depois que a federação vetou o ex-secretário de Agricultura João Sampaio como superintendente do conselho.

No acordo selado ontem pela CitrusBR (Associação Nacional dos Exportadores de Sucos Cítricos) e a SRB, Sampaio será, porém, o  superintendente do Consecitrus.  "A meta agora é trazer para o conselho mais representantes dos produtores de laranja, cada um com a mesma representatividade da SRB", disse o ex-secretário.

Agora, de acordo com o estatuto, o Consecitrus será formado por três representantes dos produtores rurais indicados pela SRB e mais três representando a indústria. O objetivo do presidente da SRB, Cesário Ramalho, agora é ser o mais "pluralista" possível. 

"O Consecitrus é um importante passo para a citricultura brasileira, e a ideia agora é trazer para o conselho produtores interessados em somar forças", disse o presidente da CitrusBR, Christian Lohbauer. 

Veja a nota da SRB sobre a criação do Consecitrus:

Sociedade Rural Brasileira assina Consecitrus
Pelo estatuto aprovado, a Rural irá indicar, inicialmente, três representantes e a indústria, outros três, para formarem o Conselho

A Sociedade Rural Brasileira assinou na noite desta quarta-feira (19), o estatuto de formação do Consecitrus, conselho entre citricultores e a indústria de suco de laranja para estabelecer políticas e diretrizes para a cadeia produtiva de citros.
Após dois anos de negociações, ficou acertado que a indústria, representada pela CitrusBR,  e a Sociedade Rural Brasileira, representando os citricultores, indicarão três representantes de cada lado para formarem o Consecitrus.
O documento aponta ainda que o ex-secretário de Agricultura do Estado de São Paulo, João de Almeida Sampaio Filho, será o superintendente, e que haverá uma equipe operacional para executar as decisões do conselho.
A Rural se comprometeu, em um curto espaço de tempo, a trazer para o conselho mais representantes de associações civis, cooperativas e sindicatos rurais, cada um com a mesma representatividade da Rural Brasileira.
Negociações
As últimas semanas foram de intensas reuniões. A Sociedade Rural Brasileira chegou a deixar as negociações, pois entendia que o Consecitrus deveria ser uma entidade ampla e plural, posição contrária à da Faesp que não aceitou a participação da Coopercitrus e queria colocar a Rural numa situação de inferioridade, exigindo o dobro de representantes no conselho.
Na noite da terça-feira (17), quando o estatuto do Consecitrus iria ser assinado entre Faesp e indústria, o presidente da entidade, sr. Fabio de Salles Meirelles, vetou a indicação de João Sampaio Filho, que coordenou as negociações por quase dois anos, para a superintendência do conselho. Com o veto, João Sampaio também se retirou das tratativas.
A decisão isolou a Faesp e fez com que a indústria se aliasse novamente à Sociedade Rural Brasileira para continuar as negociações e enfim assinar o estatuto do Consecitrus.
Tags:
Por:
Carla Mendes
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário