Óleo essencial de ponkan agrega inovação e renda para agricultores no Vale do Ribeira, no Paraná

Publicado em 06/08/2020 14:52 123 exibições
Parceria estimulada pelo Sebrae/PR fortalece cadeia produtiva da fruticultura em Cerro Azul

A cooperativa Copavale e a empresa de cosméticos Cativa Natureza firmaram parceria para a produção de um óleo essencial feito a partir da casca da ponkan. A fruta é símbolo de Cerro Azul, localizada na região do Vale do Ribeira, no Paraná, e é motor da economia do município. A parceria consiste na produção e venda dos frutos do raleio das árvores, gerando renda para os cooperados e matéria-prima para a indústria de cosméticos.

De acordo com dados do Departamento de Economia Rural do Paraná (Deral), o município possui em torno de 3.100 hectares plantados da fruta, com um volume anual de 50 mil toneladas que representam 50% do cultivo da fruta no Estado e 7% da produção nacional. A colheita é utilizada na comercialização in natura ou na produção de sucos por agricultores do Vale do Ribeira.

“Sabíamos que Cerro Azul possui esse projeto do suco em que a fruta era utilizada. Já usamos a tangerina vermelha e queríamos ter no nosso portfólio a tangerina verde também. Foi então que pensamos em reaproveitar o raleio na produção do óleo essencial da ponkan para a produção do óleo essencial”, comenta Rose Bezecry, fundadora da Cativa Natureza.

Para Debora Aparecida Nascimento, presidente da Cooperativa de Processamento Alimentar e Agricultura Familiar Solidária do Vale do Ribeira Paranaense (Copavale), que integra 53 famílias de produtores, a transformação da casca em óleo essencial agrega valor à cadeia produtiva, gerando mais renda aos produtores e sustentabilidade. 

“A união entre a Copavale e a Cativa possibilitou um avanço na busca por agregação de valor e tecnologia na cadeia produtiva que envolve a fruta. Para os agricultores, essa parceria representa uma nova fonte de renda em período fora de safra, tanto pela venda do raleio quanto pela participação no lucro obtido com a venda do produto final”, comenta.

Os frutos utilizados na produção do óleo são obtidos no raleio, etapa em que é feita uma classificação e retirada do excesso de frutas produzidas numa planta. Antes da parceria com a indústria, a técnica não era comum no cultivo.

“O trabalho também promoveu práticas que possibilitaram a melhoria da qualidade da fruta para comercialização in natura, bem como o manejo da produção devido aos ganhos agronômicos e, ao mesmo tempo, gerou renda por meio da venda dos frutos retirados no raleio”, explica a presidente da Copavale.

De acordo com o consultor do Sebrae/PR, Ivan Silva Evangelista, a iniciativa de unir a produção da empresa de cosméticos orgânicos e veganos com o trabalho dos produtores do Vale do Ribeira visa a potencialização da cadeia da fruticultura, que torna o processo sustentável para ambas.

“A aproximação entre o setor privado e a cooperativa oferece condições dos produtores de agregar valor à cadeia produtiva, possibilitando o incremento da inovação e tecnologia no sistema. Isso reflete na melhoria da qualidade de vida e exercita a prática do comércio justo e da cooperação”, comenta Evangelista.

Tangerina, mexerica ou ponkan. A fruta é conhecida por diferentes nomes, mas possui aroma inconfundível e diversas propriedades. O óleo essencial possui vitamina C, que é antioxidante, vitamina A, responsável por regenerar pele e cabelo, vitamina B1, que ajuda na função cerebral, atenção e pensamento e ainda a vitamina B6, que previne distúrbios nervosos.

O óleo essencial de Tangerina Verde já está sendo comercializado nas lojas ou no site  da empresa. O produto está à venda a R$ 35,90 em vidro de 10ml. De acordo com a Cativa, a instrução para utilização é na aromaterapia e também para massagens através de óleo carreador, utilizado para diluir o óleo essencial para que então ele possa ser utilizado na pele.

Tags:
Fonte:
Sebrae PR

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário