Lácteos: preços caem nos EUA à medida que demanda se retrai por causa da covid-19

Publicado em 20/04/2020 13:06 88 exibições

LOGO estadao

A queda nos preços do leite nos Estados Unidos por causa das restrições decorrentes da pandemia de coronavírus anulou os ganhos obtidos com a matéria-prima em 2019. Com a quarentena, o consumo de lácteos caiu no país. "A indústria de laticínios permanece presa em uma posição desafiadora e infeliz, uma vez que o processamento está sendo interrompido por causa da retração abrupta de demanda", confirma Rick Kment, analista de mercado da DTN. Segundo ele, como o leite é um produto perecível e "a capacidade de armazená-lo por mais de dois dias é quase impossível", alguns agricultores tiveram que descartar o excesso de leite produzido.


Embora no início da pandemia os preços tenham se sustentado com o movimento de estocagem de produtos básicos pelas famílias norte-americanas, o fechamento de estabelecimentos do segmento de food service e de escolas trouxe o efeito contrário.

O analista lembra que "quando as geladeiras foram reabastecidas, os consumidores pararam de fazer pedidos e as vendas de supermercado não foram suficientes para compensar as perdas das vendas a restaurantes".

É esperada nos próximos meses uma "liquidação" do rebanho, de acordo com o vice-presidente executivo da empresa de tecnologia de cadeia de suprimentos de alimentos ArrowStream, David Maloni, o que pode levar a um fornecimento mais restrito de leite e derivados e à alta dos preços ainda em 2020. Ele avalia que "os mercados de laticínios dos EUA caíram substancialmente abaixo dos preços de outros grandes países exportadores" e isso deve resultar em "melhor demanda de exportação em um futuro não tão distante".

A retomada nos preços pode ser motivada pela recuperação da China, acredita Arun Sundaram, analista de ações da CFRA Research. "Os preços das commodities agrícolas devem melhorar assim que começarmos a ver compras maiores e mais consistentes de produtos agrícolas da China", afirma, acrescentando que há sinais de que a economia chinesa está voltando a se abrir após os bloqueios decorrentes do novo vírus. Fonte: Dow Jones Newswires.

Fonte:
Estadão Conteúdo

0 comentário