Saiba mais sobre os benefícios da silagem com milho reidratado para alimentar vacas leiteiras

Publicado em 08/01/2021 14:28 242 exibições
Pesquisas conduzidas pela Epamig mostram que técnica aumenta a digestibilidade do milho e permite a mesma produção de leite com custo alimentar mais baixo

No Brasil, o grão de milho é o principal cereal energético utilizado em dietas para vacas leiteiras. Porém, o milho cultivado em território nacional, diferente do grão produzido em outros países, possui o endosperma duro (vítreo), o que dificulta a digestão por parte do rebanho. Para resolver esse problema, a hidratação e a ensilagem do grão de milho maduro para facilitar a digestão do ingrediente é uma alternativa comum adotada por grandes, médios e pequenos produtores.

Vinculada à Secretaria de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa), a Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais (Epamig), em parceria com o professor da Universidade Federal de Lavras (UFLA), Marcos Neves Pereira, realiza uma série de estudos para viabilizar formas mais nutritivas e econômicas de processar e armazenar o milho nas fazendas. Nesse sentido, a silagem de milho reidratado surge como uma tecnologia inovadora de conservação do grão moído, por meio da ensilagem, para ser utilizado em dietas para vacas leiteiras. O processo consiste basicamente na reidratação do grão de milho moído, seguido por conservação na forma de silagem.

Segundo a pesquisadora da Epamig, Renata Apocalypse, a silagem de milho reidratado é uma forma barata de armazenamento do produto. A pesquisadora destaca que o produtor pode comprar milho quando o preço do cereal estiver mais baixo. Além disso, a estocagem do material nas fazendas dispensa os altos custos com galpões ou silos de terceiros e elimina as perdas por ataque de pragas, como carunchos.

Estudos com silagem de milho reidratado oferecida a animais especializados, como vacas holandesas geneticamente melhoradas para produção de leite, mostraram eficiência da dieta alimentar. O aumento da digestibilidade do milho, que ocorre durante o processo, permite a mesma produção de leite com o custo alimentar mais baixo.

"A adoção de silagem de milho reidratado em regiões brasileiras produtoras de milho é ainda mais fácil, pois não está presa à janela estreita de colheita, que é o caso da silagem de milho úmido, alimento similar. Ela pode ser realizada em qualquer época, mas preferencialmente quando o preço do milho está vantajoso. Basta deixar o milho secar completamente para só depois colher, reidratar e ensilar. Não tem erro. Com isso, o produtor não precisa mexer com paiol ou pagar silo graneleiro. Ele mesmo faz a silagem na propriedade sem ter que utilizar defensivos tóxicos, sem ter problemas com pragas e roedores ou gastos com estocagem do milho em silos comerciais", pontua Renata Apocalypse.

O produtor de leite e professor do Instituto Federal do Sul de Minas, Gustavo Augusto de Andrade, conta que as vantagens do uso de silagem de milho reidratado são facilmente perceptíveis.

"A técnica aumenta a eficiência de uso da mão de obra nas propriedades, pois é possível concentrar a moagem do milho em apenas um dia, ao passo que para usar o fubá a moagem tem que ser diária. Além disso, a técnica potencializa os ganhos financeiros, uma vez que é possível armazenar o milho nas fazendas e obter ganhos na digestibilidade do amido por parte dos animais, o que reduz a necessidade de alimentos concentrados", afirma Andrade, que também é médico veterinário.

O passo a passo para fazer silagem de milho reidratado

A Epamig disponibiliza para download gratuito uma Circular Técnica com o passo a passo para fazer silagem de milho reidratado. No material, o produtor pode conferir dicas que vão desde a construção de silos até o armazenamento da silagem. Para acessar, clique aqui.

As dimensões dos silos e os equipamentos necessários para a moagem do milho vão depender da quantidade do material utilizado diariamente nas fazendas. Quanto mais fino o grão de amido, maior será a digestibilidade no rúmen. Por isso, recomenda-se a moagem mais fina possível. Porém, em casos de grandes quantidades de milho a ser moído, como nas grandes fazendas, é indicada a moagem um pouco mais grossa, contanto que o produtor deixe a silagem armazenada por mais tempo.

A quantidade de água necessária para reidratação do milho gira em torno de 35 litros para cada 100 quilos de milho moído. Além disso, a utilização de inoculantes auxilia na qualidade da silagem, pois melhora o processo fermentativo e reduz a perda de alimento no processo de ensilagem.

Já o tempo recomendado de ensilagem é indefinido, ditado mais pelo estoque de alimento que o produtor tem a oferecer para os animais. O silo pode ser aberto com duas semanas, mas os melhores resultados de fermentação se dão após oito meses. Os cuidados para que não ocorra entrada de ar ou de água na massa ensilada são os mesmos adotados em outras silagens. Durante o desabastecimento, as fatias deverão ser retiradas de maneira uniforme ao longo de toda a face do silo.

Fonte:
Agricultura MG

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário