Ferrovia Norte-Sul: Caiado anuncia construção de Terminal Rodoferroviário, em São Simão, pela parceria Rumo-Caramuru

Publicado em 21/07/2020 15:20 813 exibições

O governador do Estado de Goiás, Ronaldo Caiado, anunciou nesta terça-feira, 21 de julho, que as empresas Rumo e Caramuru Alimentos firmaram nova parceria e vão investir R$ 80 milhões na construção de um terminal de transbordo rodoferroviário para transporte multimodal de cargas, interligado à Ferrovia Norte-Sul. Instalado no município de São Simão, no extremo Sudoeste goiano, o terminal poderá movimentar mais de 5,5 milhões de toneladas por ano de soja, milho e farelo de soja, o que equivale a mais de 80 mil caminhões por ano. “Nós teremos a capacidade, junto com o transporte rodoviário, de fazer com que grãos e produtos industrializados possam chegar ao Porto de Santos com preço competitivo para o setor produtivo do Estado de Goiás”, destacou Caiado durante reunião de apresentação do projeto, realizada no Palácio das Esmeraldas.

A Rumo e a Caramuru Alimentos já são parceiras do Terminal XXXIX no Porto de Santos (SP) e reforçam essa união investindo em Goiás. O novo terminal rodoferroviário receberá cargas de Goiás, Mato Grosso e Triângulo Mineiro, com uma operação eficiente e dinâmica, aumentando a competitividade do agronegócio. O investimento vai contribuir com o desenvolvimento da produção regional de grãos, proporcionando maiores facilidades a clientes e consumidores, minimizando impactos ambientais e promovendo novos postos de trabalho que trarão crescimento socioeconômico para a região de São Simão. “É fundamental que tenhamos um novo momento de investimentos no Estado, com essas características de inovação, de respeito às regras, sejam elas sanitárias, de preservação do ambiente e também no sentido de dar informação ao consumidor”, afirmou o governador ao sublinhar que a parceria que coloca Goiás em um novo patamar na disputa internacional. 

O empreendimento deve gerar 290 empregos diretos e mais de mil indiretos no período de obras, e outros 90 empregos diretos definitivos quando o terminal estiver em operação. Além disso, deve movimentar o comércio local, impulsionando diversos setores. “Será um terminal de alta capacidade e está entre os três maiores terminais do interior do Brasil que vai ligar rodovias à ferrovia e ao Porto de Santos. Essa operação é altamente competitiva, uma vez que em São Simão já existe ferrovia operando e os dois sistemas de transportes mais competitivos, mais baratos, são a hidrovia e a ferrovia”, explicou o presidente do Conselho de Administração da Caramuru Alimentos, Alberto Borges de Souza. Segundo ele, o terminal foi posicionado nas proximidades de uma fábrica da Caramuru já implantada que atualmente opera com hidrovia e que com o terminal vai operar também com a ferrovia. Alberto ressaltou que o novo terminal de transbordo rodoferroviário estará aberto à prestação de serviços a todas as empresas que tiverem interesse e escala para direcionar a produção para o Porto de Santos, importante canal de exportação.

Para o diretor-comercial da Rumo Logística, Pedro Palma, o novo terminal amplia a competitividade do agronegócio da região. “Essa é uma operação que vai, sem dúvida alguma, valorizar a produção do agricultor e de todo agronegócio de Goiás. E também de toda a região do Sudoeste de Goiás com geração de emprego e renda. Sem dúvida alguma, ajudará no desenvolvimento não só do Estado, mas de todo o País”, acrescentou.

Maior competitividade
O terminal de São Simão deve começar a operar no primeiro semestre de 2021, com capacidade estática de 42 mil toneladas, dividida em seis silos, descarga rodoviária de 850 toneladas/hora (20 mil toneladas/dia) e carregamento ferroviário de 3 mil toneladas/hora. Segundo o secretário de Estado da Indústria, Comércio e Serviços (SIC), Adonídio Neto, a grandiosidade da parceria exemplifica a preocupação do governo com o crescimento da economia e com a retomada dos indicadores no Estado. Demonstrando a consonância entre o setor produtivo e o governo, o presidente Executivo da Associação Pró-desenvolvimento Industrial do Estado de Goiás (Adial), Edwal Portilho, assegurou que o segmento atua em total sinergia com o Estado, que tem hoje o sétimo maior parque industrial do País e o objetivo de atrair novos “players”. 

O vice-governador Lincoln Tejota observou que este é um caminho transformador para o Estado e que, por determinação do governador Ronaldo Caiado, toda a equipe de governo tem trabalhado para incentivar o desenvolvimento regional, que está diretamente ligado ao investimento e à estruturação da logística em Goiás. Para o secretário Geral da Governadoria, Adriano da Rocha Lima, a combinação entre tecnologia, com uma logística bem formatada e a posição geográfica do Estado, são fatores determinantes para o desenvolvimento. “A logística estruturada faz com que os custos despenquem e você consiga colocar o preço muito mais competitivo e com isso alavancar sua produção”, avaliou.

Ainda segundo o secretário, hoje as grandes empresas precisam trabalhar focadas em três eixos essenciais, que envolvem o econômico, o ambiental e o social. “A Rumo e a Caramuru têm essa visão moderna e é isso que o Estado precisa para se tornar ainda mais exportador e mais competitivo no Brasil e no mercado mundial”, concluiu.

Durante a reunião, a secretária da Economia, Cristiane Schmidit, frisou a importância das duas empresas para o setor econômico brasileiro e enfatizou que a parceria vai movimentar a economia e gerar empregos na região, estimulando o crescimento de Goiás. Ao finalizar, Cristiane lembrou que as empresas já atuam fortemente no segmento social e pediu que Goiás seja incluído nos portfólios de projetos de responsabilidade social da Rumo e da Caramuru, por meio do Fundo Proteção Social do Estado de Goiás (Protege).

Também participaram da reunião os secretários de Estado Antônio Carlos de Souza Lima Neto (Agricultura, Pecuária e Abastecimento), Márcio Pereira (Desenvolvimento e Inovação) e Tony Carlo (Comunicação); os superintendentes da SIC Paulo Aguiar Almeida (Prospecção e Investimentos) e Plínio César Lucas Viana (Atração de Investimentos Internacionais); o diretor de Logística e Porto, Antônio Ismael Ballan; e o gerente executivo da Rumo, Altamir Perottoni.

Tags:
Fonte:
Secretaria Agricultura/GO

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

1 comentário

  • Alvaro Andrade Biollo

    Essa Ferrovia Norte-Sul é outra piada... faz quarenta anos que está sendo feita, e foi só roubalheira..., tomara que agora, com um presidente honesto, seja concluída.

    5
    • Rafael Antonio Tauffer Passo Fundo - RS

      Teve muitos desvios nessa ferrovia. Mas ela já está operando saindo do Porto de São Luís MA até Goiás.

      1