Sally se transforma em furacão e ameaça costa do Golfo nos EUA

Publicado em 14/09/2020 18:45 137 exibições

LOGO REUTERS

HOUSTON (Reuters) - Moradores dos Estados norte-americanos da Louisiana e do Mississippi estavam sob ordens para deixar suas casas nesta segunda-feira, enquanto Sally agitava o Golfo do México, ganhava força e se transformava em um furacão antes de provocar chuvas no litoral na terça-feira, segundo informou o Centro Nacional de Furacões dos Estados Unidos.

A segunda tempestade a ameaçar a região em menos de um mês, Sally caminha para uma chegada em câmera lenta que pode despejar chuvas agressivas na costa norte-americana do Golfo. Moradores da Louisiana e da Flórida foram avisados também sobre tempestades e ventos fortes. 

Sally é a décima oitava tempestade no Atlântico neste ano e será a oitava tempestade tropical com força de furacão a atingir os Estados Unidos, algo "muito raro, se não for um recorde", disse Dan Kottlowski, meteorologista sênior da AccuWeather.

Dados precisos sobre tempestades tropicais históricas podem ser enganosos.

"Vamos aguentar o fardo desta tempestade," disse o governador do Mississippi, Tate Reeves, a moradores nesta segunda-feira, alertando que o volume de chuvas ao longo da costa passaria dos 508 milímetros. 

O governador da Louisiana, John Bel Edwards, pediu uma declaração federal de desastre e aconselhou que as pessoas no caminho do Sally deixem suas casas.

"Temos de nos certificar de que tudo esteja amarrado e fora do caminho para que não vá embora com a água ou voe pelos ares", disse Steve Forstall, um funcionário do porto de Bay St. Louis,  no Mississippi.

Preços do petróleo recuam com mercado ignorando tempestade no Golfo do México

NOVA YORK (Reuters) - Os preços do petróleo tiveram leve queda nesta segunda-feira, em meio a preocupações com uma estagnação da recuperação econômica global e à iminência da retomada de produção na Líbia, com o mercado falhando em obter suporte de uma tempestade que afeta o bombeamento da commodity nos Estados Unidos.

O petróleo Brent fechou em queda de 0,22 dólar, ou 0,6%, a 39,61 dólares por barril, enquanto o petróleo dos EUA (WTI) recuou 0,07 dólar, ou 0,2%, para 37,26 dólares o barril.

Ambos os contratos haviam acumulado baixas na semana passada, a segunda consecutiva de recuos.

"A tempestade está interrompendo a produção no Golfo do México e o mercado nem se importa --isso mostra o quão ruim está a situação", disse Bob Yawger, diretor de futuros de energia da Mizuho em Nova York.

O furacão Sally ganhou força no Golfo do México e oeste da Flórida no domingo e deve se tornar um furacão de categoria 2. Isso levou petroleiras a interromper 21,4% da produção "offshore" de petróleo no Golfo, o equivalente a 395.790 barris por dia, disse o governo dos EUA nesta segunda-feira.

Os preços do petróleo costumam subir quando há interrupções de produção --mas diante da piora da pandemia de coronavírus, a preocupação com a demanda tem se mantido no centro das atenções, enquanto a oferta global segue crescendo.

Fonte:
Reuters

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

Ao continuar com o cadastro, você concorda com nosso Termo de Privacidade e Consentimento e a Política de Privacidade.

0 comentário