Milho: Brasil tem condições de se tornar um player do mercado?

Publicado em 23/11/2012 15:49 593 exibições
Apesar do bom volume das exportações de milho do Brasil em 2012, o “país não tem condições de ser um player de milho”, afirmou o diretor da CentroGrãos Famato, João Birkhan. Até a terceira semana de novembro (10 dias úteis), os embarques do cereal já renderam US$607,5 milhões, com média diária de US$60,7 milhões.

Em comparação com o mês anterior, a média é 35,3% maior. Em outubro, os embarques diários somavam US$44,9 milhões e no mês fecharam a US$987,6 milhões, segundo informações da Safras & Mercado. Para se ter ideia, em relação a novembro de 2011, as exportações de milho brasileiro totalizaram US$258,1 milhões, com média diária de US$12,9 milhões.

Os números estratosféricos são reflexos da quebra na produção norte-americana. De acordo com informações do Departamento de Agricultura dos EUA (USDA), a produção de milho no país caiu 13% nesta temporada, para 272,4 milhões de toneladas, a menor desde 2006.

No entanto, de acordo com Birkhan, o Brasil não tem condições de se posicionar como um grande exportador de milho devido à falta de infraestrutura logística. “Teremos que voltar para trás, a não ser que se faça alguma coisa imediatamente. Estamos sonhando com a obra da BR 163, que deve ficar pronta até 2014, e que nos ligue com o Norte do país”, disse. Atualmente, parte da produção de milho é exportada via Porto de Paranaguá, no Paraná. Entre janeiro e outubro deste ano foram embarcadas via Paranaguá 3,05 milhões de toneladas de milho, que corresponde a US$790 milhões.

Sem estrutura e com a demanda aquecida, o Brasil já começa a atrasar entregas de milho principalmente para países como Japão e Coréia do Sul. De acordo com o consultor da Safras & Mercado, Paulo Molinari, “cerca de 1 milhão de toneladas de milho de setembro e outubro estão atrasadas. Produto de setembro está sendo entregue em novembro”, afirma.

Mercado Físico

De acordo com levantamento da Scot Consultoria, somente em novembro as cotações do milho no mercado físico já subiram 5%. Nesta semana, após feriados no Brasil e nos EUA, a média semanal (19 a 22/11) de preços do milho se encerra bons patamares. Em Cascavel, no Paraná, o preço médio da saca ficou em R$31,16. Em Rondonópolis, no Mato Grosso, preço foi de R$23,33. Em Rio Verde, Goiás, média foi de R$28,50. Já no Rio Grande do Sul, em Erechim, preços mais altos, em R$35. Em Uberlândia, Minas Gerais, preço a R$33,66. Em São Paulo, na Mogiana a saca ficou em R$32,50 e em Campinas CIF preço médio a R$35,66.

Tags:
Por:
Ana Paula Pereira
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário