Milho: Em Mato Grosso, lentidão nos negócios da segunda safra

Publicado em 28/11/2012 15:33 444 exibições
Comercialização da segunda safra de milho segue a passos lentos em Mato Grosso. Em Sapezal, na região norte do Estado, ainda não há ofertas de contratos futuros para o cereal na safrinha. Segundo o presidente do Sindicato Rural, Cláudio Scariote, no mesmo período do ano passado cerca de 60% da produção estimada já havia sido vendida. Na última terça-feira (27) saca do cereal foi negociada a R$19,10 no município.

Em todo o MT comercialização da safrinha está lenta, com apenas 6% do grão fixado, ante 30% de negociações da temporada 11/12. De acordo com Cleber Noronha, analista de grãos do Instituto Mato Grossense de Economia Agropecuária (Imea), na safra 11/12 traders anteciparam as negociações do milho safrinha, pois estoques da temporada 10/11 eram baixos, aumentando a necessidade de compras do cereal.

Já nesta temporada, os estoques de passagem do Estado devem ser de 1,5 milhões de toneladas. “Empresas realizam poucos negócios, pois há volume de milho a ser retirado do Estado até início de 2013 tendo como principal destino o mercado externo”, afirma o analista.

As fracas negociações também ocorrem devido aos preços menores oferecidos para o grão futuro. Atualmente, milho disponível é negociado com preço médio de R$18 no MT, enquanto preços futuros operam R$2 abaixo, em torno de R$16. De acordo com o consultor de mercado, Carlos Cogo, proposta das traders não está agradando alguns produtores que preferem segurar negociações do cereal à espera de altas nas cotações.

Para Noronha, produtor retém oferta do produto a fim de obter melhores preços, pois custos de produção também aumentaram em média 15% no MT na temporada 12/13.

De acordo com Cogo, a tendência é de que as cotações do milho, tanto para a primeira, como para a segunda safra, sejam remuneradoras puxadas por boas exportações do cereal no 1º trimestre.

Tags:
Por:
Ana Paula Pereira
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário