Milho MT: Suporte para sustentação de preços está nos leilões de Pepro

Publicado em 01/10/2013 08:21
486 exibições

O atual problema que gira em torno do mercado do milho em 2013 está ligado ao excesso da superoferta da temporada 2012/13 que, aliada aos gargalos logísticos de escoamento e armazenagem, agrava a situação. Enquanto as soluções logísticas não são realizadas em curto prazo, o suporte na tentativa de sustentação do preço do cereal e garantia de escoamento para aliviar a pressão da grande oferta do produto está vindo através dos leilões de Prêmio Equalizador Pago ao Produtor Rural (Pepro), que já comercializaram 6,25 milhões de toneladas de milho até o momento para Mato Grosso, cerca de 29% da produção de 21,9 milhões de toneladas. O cenário mais delicado do Estado está na região Centro-Norte da Conab, que engloba municípios como Lucas do Rio Verde e Sorriso. Essa região possui 28,8% da produção total de Mato Grosso e é a que mais sofre com a falta de armazenagem, pois tem a menor participação no leilão, apenas 31% de sua produção foi vendida através de leilões de Pepro. Como as atuais cotações de R$ 7,58/sc na região desestimulam as vendas pelos produtores, seriam necessários volumes maiores de Pepro para aliviar os gargalos e estimular as vendas para desafogar a oferta da região. Apesar de os volumes negociados nos leilões terem sido insuficientes para garantir uma reação nos preços, o Pepro tem servido como válvula de escape para minimizar os efeitos dos gargalos.

Leia a íntegra no boletim do Imea 

 

Tags:
Fonte: Imea

1 comentário

  • jose renato da silva Uberlândia - MG

    Não é bem assim. Os produtores adquirem o direito do prêmio, caso consiga vender pelo preço mínimo do valor do premio somado o valor de venda que precisar fechar o valor do preço mínimo de R$ 13,02. Isto não está sendo possível, o grande número de produtores que estão fazendo o pedido de desobrigação na Conab dos dois últimos leilões é muito grande devido a impossibilidade de não ter conseguido vender seu milho. Então no resultado geral dos leilões o volume negociado junto a Conab de premio é grande, mas volume concretizado de venda, não corresponde o mesmo volume. Aqui vai uma alerta: O prazo de 90 dias que a Conab estipulou para o produtor ficar impedido após a entrega da desobrigação, deverá ser analisado para não haver este impedimento. Visto que a Conab terá que fazer novos leilões de PEPRO para alavancar as vendas do MT com prêmios maiores. Esses produtores ficando impedidos de participar de novos leilões por 90 dias, fará com que não escoe o milho e consequentemente na virada do ano os armazéns estarão estocados ainda com milho, trazendo um grande gargalo para a entrada da soja que inicia em janeiro. Precisa urgente ser avaliada esta questão do impedimento de 90 dias. Precisa deixar os produtores livres para participar de novos leilões. Lembrando que os produtores não venderam o milho, porque a conta não fecha entre venda + premio com o preço mínimo. Sugerimos as autoridades do MAPA,CONAB, APROSOJA, ENTIDADES E SINDICATOS analisar a questão. Abraços

    0