Milho: Mercado fecha o dia em queda à espera de números baixistas do USDA

Publicado em 10/07/2014 16:29 495 exibições

As expectativas do mercado para os números que o USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos) divulga nesta sexta-feira (11) referentes à nova safra de milho dos Estados Unidos já indicam um aumento nos estoques e na produtividade da nova temporada no país e, mais uma vez, pressionaram os preços na Bolsa de Chicago na sessão desta quinta-feira (11). 

Entre os principais vencimentos, o setembro e o dezembro/14 já perderam o patamar dos US$ 4,00 por bushel. Nesta sessão, o mercado fechou a US$ 3,86, com 5 pontos de baixa, e US$ 3,92, perdendo 5,25 pontos, respectivamente. 

O relatório mensal de oferta e demanda que deve ser divulgado pelo departamento norte-americano pode trazer, segundo expectativas do mercado, um aumento na produtividade da safra 2014/15 de 174,95 sacas para 176,55 sacas por hectare. Na safra anterior, esse número foi de 168,07 sacas. Já para os estoques finais da nova safra são esperadas 44,02 milhões de toneladas, contra 43,85 milhões estimadas em junho, no último reporte. O número para a produção, no entanto, deverá vir em linha com o que foi divulgado em junho - 353,97 milhões de toneladas. 

Para a safra 2013/14, os estoques também podem apresentar um incremento e passar de 29,11 milhões de toneladas, estimadas no último relatório, para 31,12 milhões de toneladas, ainda de acordo com as expectativas dos traders. 

O mercado aposta ainda em uma alta nos estoques mundiais de milho dessa nova safra para 184,47 milhões de toneladas, o maior desde 2000. Caso esse número se confirme irá superar a o estimado em junho pelo USDA - 182,65 milhões de toneladas. 

Boas condições nos EUA

As condições de clima atuais nos Estados Unidos se mostram muito favoráveis ao desenvolvimento das lavouras da safra 2014/15, o que reforçam o sentimento de que o mercado deverá contar com uma oferta robusta vinda do país nesta próxima temporada. Segundo números do USDA, até o último domingo (6), 75% das lavouras se apresentavam em boas ou excelentes condições e, de acordo com analistas, essa classificação é uma das melhores dos últimos anos.  E as previsões climáticas indicam que esse bom quadro deve permanecer nas próximas semanas. 

"As condições são de tempo úmido e temperaturas amenas, o que não poderia ser melhor para o desencolvimento de culturas como a do milho. E o grão está em sua principal fase de desenvolvimento", disse o analista internacional Tim Hannagan, da corretora Walsh Trading, em Chicago, à agência de notícias Bloomberg. 

Exportações norte-americanas

Para analistas, porém, esses preços mais baixos podem estimular cada vez mais a demanda pelo milho norte-americano. Segundo o relatório de vendas para a exportação divulgado nesta quinta-feira pelo USDA, os EUA exportaram 363 mil toneladas na semana que terminou em 3 de julho. O volume ficou dentro das expectativas do mercado - que eram de 225 mil a 450 mil toneladas - e elevaram o total acumulado no ano a 47.575,9 mil toneladas, contra a última estimativa do USDA de 48,260 milhões de toneladas para todo o ano comercial. 

O departamento informou ainda que, da safra 2014/15, foram vendidas 381,6 mil toneladas na mesma semana, com o volume ficando abaixo da semana anterior - 474,7 mil toneladas. As expectativas do mercado para as vendas da safra nova eram de 400 mil a 650 mil toneladas.  

Tags:
Por:
Carla Mendes
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário