Milho vendido pela Conab em AL está mais caro que no comércio, afirma Faeal

Publicado em 18/11/2014 15:30 e atualizado em 10/03/2020 08:44 115 exibições
Não renovação do decreto emergencial pelo Governo do Estado, suspendeu Portaria Interministerial 710/2014, aponta Conab

A Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Alagoas (Faeal) mostrou-se mais uma vez insatisfeita com a atual situação dos produtores rurais alagoanos em relação ao abastecimento de milho. A situação se agrava a medida que o preço praticado pela Companhia Nacional de Abastecimento em Alagoas (Conab/AL) está mais alto que no comércio local.

Segundo Álvaro Almeida, presidente da Faeal, o milho vendido pela Conab em Alagoas está no valor de R$ 34,20 a saca de 60kg, enquanto que no comercio normal, o valor da saca está em R$ 32,00. “É uma situação muito séria. Pois no caso da compra do milho pela Conab, nós produtores ainda temos uma despesa com frete, o que aumenta ainda mais esse valor”, disse Almeida.

Não houve renovação do decreto que estabelece situação de emergência da seca pelo Governo do Estado, segundo a Conab. Dessa forma, a Portaria Interministerial 710/2014, que estabelece o valor de R$ 23,10 por saca de 60 kg de milho, está suspensa nos municípios alagoanos. “Essa situação tem causado um grande transtorno para os produtores alagoanos, que continuam tendo dificuldades para trabalhar”, acrescentou Álvaro Almeida.

O superintendente da Conab em Alagoas, Eliseu Rego, ressaltou que a partir desta terça-feira,18, o preço do milho praticado pela Conab, será de R$ 32,00 por saca de 60 kg de milho. O valor será igual ao praticado no comércio, numa tentativa de diminuir os efeitos negativos que a ausência do decreto está gerando.

O presidente da Federação da Agricultura, mais uma vez ressaltou a importância da atividade agropecuária para o Estado se mostrou confiante na resolução do problema, para que o produtor rural possa voltar a trabalhar, adquirindo milho a preço justo para o desenvolvimento da sua propriedade.

Tags:
Fonte:
Faeal

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário