EUA 2017/18: Dupont acredita em redução da área de plantio de milho

Publicado em 24/01/2017 14:46 e atualizado em 24/01/2017 15:26
1315 exibições

A consultoria internacional Informa Economics revisou suas projeções para a área de plantio da safra 2017/18 dos EUA para a soja e milho nesta terça-feira (24). 

A empresa reduziu sua estimativa para a superfície a ser semeada com a oleaginosa de 35,96 milhões para 35,07 milhões de hectares. Ao mesmo tempo, porém, aumentou sua projeção para o cereal, esperando agora 36,62 milhões de hectares plantados, contra sua última projeção de 36,48 milhões. 

Outra pesquisa foi reportada há poucos dias, com números levantados pelo portal internacional Farm Futures. O estudo feito pelo site indicou que a área de soja pode ficar em 36,63 milhões de hectares e a de milho em 36,62 milhões. Caso esses números se confirmem, a área cultivada com a oleaginosa nos EUA poderia superar, pela primeira vez, a do grão no país. 

E diante desses números - ao lado de números que reagem com dificuldade na Bolsa de Chicago e ainda se mantêm abaixo dos US$ 4,00 por bushel - já começa a refletir em menos vendas de sementes de milho em detrimento das de soja, segundo informou a divisão de agricultura da DuPont. 

Segundo o chefe do departamento, Jim Collins, a venda de sementes de milho respondem pela maior parte da receita adquirida no segmento de sementes da empresa e, dessa forma, "a mudança costuma ser menos favorável para nosso lucro total", em entrevista à agência internacional DowJones Newswires. 

"Esse é o sentimento do mercado e a soja está com preço bom há alguns anos e em algum momento iria ganhar área. Ainda assim, é cedo para imaginarmos uma mudança brusca nos preços de soja e milho praticados atualmente na Bolsa de Chicago", alerta o analista de mercado da FocoMT, Marcos Hildenbrandt.

O especialista ainda destaca que o recuo da área de plantio pode não significar uma queda na produção. "Muitas vezes a área cai, mas podemos registrar um aumento de produtividade. Com certeza, uma área menor e produtividade mais baixa resultam em uma combinação altista. Porém, ainda é cedo para iniciarem o plantio nos EUA e também para fazer especulações com o rendimento das lavouras de milho", completa.

Milho/EUA: Dupont prevê redução da área plantada em 2017

Por DowJones Newswires

A colheita recorde de milho nos EUA e os preços abaixo de US$ 4 por bushel estão levando produtores a aumentar suas encomendas de sementes de soja e reduzir os pedidos de sementes de milho, de acordo com o chefe da divisão de agricultura da DuPont, Jim Collins. Como as vendas de sementes de milho representam a maior parte da receita do negócio de sementes da DuPont, essa mudança "costuma ser menos favorável para nosso lucro total", disse Collins.
 
Separadamente, o CEO da DuPont, Ed Breen, disse que os negócios de pesticidas e a manutenção da capacidade de pesquisa são as maiores preocupações de órgãos reguladores que estão analisando o acordo de fusão entre Dow Chemical e DuPont.
 
Segundo Breen, embora as companhias tenham planos para cortar US$ 300 milhões dos gastos conjuntos em pesquisa e desenvolvimento, isso não vai resultar na demissão de cientistas ou na redução da capacidade de pesquisa. Dow e DuPont agora esperam que a fusão seja concluída no segundo trimestre deste ano. Ontem, a Comissão Europeia adiou para 14 de março o prazo para concluir a revisão do negócio. O prazo anterior era 28 de fevereiro. Fonte: Dow Jones Newswires.

Tags:
Por: Carla Mendes e Fernanda Custódio
Fonte: Notícias Agrícolas

0 comentário