Milho: Preços internacionais sobem e encerram terça-feira com altas de até 5,5 pontos

Publicado em 12/02/2019 17:51 e atualizado em 13/02/2019 09:29
294 exibições

LOGO nalogo

A terça-feira (12) foi de valorização para os preços internacionais do milho. Operando todo o dia em alta, as principais cotações foram subindo ao logo do pregão e encerraram o dia com elevações entre 4,75 e 5,50 pontos. O vencimento março/19 era cotado a US$ 3,78, o maio/19 valia US$ 3,86 e o julho/19 era negociado a US$ 3,93.

Segundo o site Barchart, os contratos futuros de milho foram negociados acima do apresentado nos últimos dias na maioria dos contratos dessa terça-feira. O USDA divulgou uma venda privada de exportação de 122.376 toneladas de milho para entrega em 18/19 a destinos desconhecidos esta manhã. Alguns concorrentes sul-coreanos na terça-feira viram um total de 203.000 toneladas de milho de origem opcional adquirido pelos importadores.

Já a CONAB divulgou suas últimas estimativas de produção de milho para o Brasil, com a safra total subindo 462.000 milhões de toneladas em janeiro e indo para 91.652 milhões de toneladas agora, deixando a segunda safra maior do que a registrada com a primeira safra.

Mercado Interno

Já no mercado interno, os preços do milho disponível permaneceram sem movimentações em sua maioria. Em levantamento realizado pela equipe do Notícias Agrícolas, valorizações foram registradas apenas nas praças de Oeste da Bahia (1,47% e preço de R$ 34,50), Pato Branco/PR (1,60% e preço de 31,70), Ubiratã/PR (1,69% e preço de R$ 30,00), Londrina/PR (1,69% e preço de R$ 30,00) e Brasília/DF (2,94% e preço de R$ 35,00). Já a desvalorização esteve presente somente em Campinas/SP (1,26% e preço de R$ 38,42).

De acordo com a XP Investimentos, o mercado de milho paulista segue especulado. A dificuldade em adquirir milho tributado persiste (alta do frete) e restringe os negócios ao diferido. O cenário gera oportunidade para que intermediários e silos elevem as pedidas e realizem seus lucros. Indústrias e granjas, todavia, se retiram, adquirindo somente o necessário. A expectativa destes é que a colheita local avance nos próximos dias e, somada a uma esperada baixa dos fretes, reabra a janela de compra.

Já para a Agrifatto Consultoria, nesta semana importantes grupos divulgam suas informações sobre o mercado de grãos.

O Imea destaca o avanço do ritmo de comercialização no MT, reflexos de cotações mais convidativas. E assim, a venda da safra 2017/18 alcança 98,35% da produção com valor médio em R$ 22,84/sc – com o mercado interno como principal destino.

Quanto a temporada 2018/19, o estado compromete 46,54% da produção e cotação média em R$ 20,76/sc (na mesma época do ano passado estava em 40,66%). E assim, a comercialização acelerou em ambas as temporadas. Além disso, a semeadura do milho safrinha avançou no estado com condições climáticas favoráveis. O plantio já alcança 52,16% da área.

Outro importante relatório fica para o boletim de acompanhamento de safras da Conab. A companhia revisou para cima a sua perspectiva de produção de milho – com o total passando de 92,2 para 92,7 milhões de toneladas. A estimativa reajustada foi reflexo de projeção maior para a safra de inverno (safrinha), passando de 63,73 para 65,20 milhões de toneladas. Se confirmada a sua previsão, o mercado do milho deverá passar por alívio das cotações, possivelmente próximo a colheita do milho segunda safra (CONAB).

Confira como ficaram as cotações nessa terça-feira:

>> MILHO

Tags:
Por Guilherme Dorigatti
Fonte Notícias Agrícolas

Nenhum comentário