Milho: Altas ganham força e preços internacionais sobem até 5 pontos

Publicado em 21/02/2019 12:27 e atualizado em 21/02/2019 17:36
354 exibições

LOGO nalogo

As altas seguem ditando o ritmo dos preços internacionais do milho nesta quinta-feira (21). As principais cotações na Bolsa de Chicago (CBOT) registravam valorizações entre 4,25 e 5 pontos por volta das 12h02 (horário de Brasília). O vencimento março/19 era cotado a US$ 3,75, o maio/19 valia US$ 3,84 e o julho/19 era negociado por US$ 3,92.

Segundo análise de Bryce Knorr da Farm Futures, os preços do milho estão mais altos hoje após acumularem quedas nesta semana. O mercado aguarda o início da conferência anual de perspectivas do USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos) com a apresentação da previsão atualizada da agência para a área plantada em 2019 e mais estimativas de oferta e demanda na sexta-feira.

Já Tony Dreibus da Successful Farming, aponta que as altas chegam com o mercado otimista esperando uma resolução das tensões entre China e Estados Unidos. Vários rumores entre quarta e quinta-feira davam conta de um acordo se aproximando, embora nada seja esperado ainda nesta semana.

“Um acordo acabaria com a guerra comercial entre os países em que cada um deles impunha tarifas sobre os bens importados. A soja foi especialmente atingida, uma vez que a nação asiática, que já foi a maior importadora de sementes oleaginosas dos Estados Unidos, basicamente parou as compras”, disse Dreibus.

B3

Já a bolsa brasileira andou na contra mão e apresenta pequenas quedas nesta quinta-feira. As principais cotações registravam desvalorizações entre 0,25% e 0,06% negativos por volta das 10h32 (horário de Brasília). O vencimento março/19 era cotado a R$ 41,50, o maio/19 valia R$ 39,60 e o julho/19 era negociado por R$ 35,93.

A Agrifatto Consultoria aponta que a combinação entre a baixa disponibilidade de milho e a retração vendedora faz com que a ponta consumidora precise oferecer prêmios melhores para originar o cereal. E apesar do avanço rápido da referência paulista, o que se registra é um mercado também fortalecido pelo interior do país, com esse cenário preservando o basis dos outros estados frente o indicador da praça paulista.

Por exemplo, o valor médio para o milho mato-grossense, fica em torno de R$ 18,00/sc abaixo do balizado no balcão de SP – proporção bastante parecida com esta mesma época em 2018. Mas o destaque fica para o basis do milho em MG, com a referência no Triângulo Mineiro ficando em torno de R$ 6,00/sc abaixa da referência da Esalq. Nesta mesma época do ano passado, a proporção era de R$ 8,45/sc.

E ainda, os preços futuros têm se mostrado lateralizados nos últimos 7 dias, resistentes em avançar além dos patamares atuais. Neste sentido, o avanço do plantio em ritmo aquecido com previsões climáticas no curto prazo pode aliviar essas cotações. Por outro lado, o mercado físico deve continuar fortalecido nas próximas semanas, o que limita um possível movimento de ajuste.

Tags:
Por: Guilherme Dorigatti
Fonte: Notícias Agrícolas

Nenhum comentário