Milho: preços internacionais seguem em baixa nesta terça-feira

Publicado em 26/02/2019 12:13 e atualizado em 26/02/2019 17:38
107 exibições

LOGO nalogo

Os preços internacionais do milho seguem a tendência do início do dia na Bolsa de Chicago (CBOT) e apresentam quedas nesta terça-feira (26). As principais cotações registram desvalorizações entre 2,50 e 3,25 pontos negativos por volta das 11h59 (horário de Brasília). O vencimento março/19 era cotado a US$ 3,67, o maio/19 valia US$ 3,76 e o julho/19 era negociado por US$ 3,85.

Segundo o site Barchart, os futuros de milho estão sendo negociados com frações já que sentiram o impacto da queda acentuada do trigo na segunda-feira, com a maioria dos contratos caindo 3 a 4 3/4 centavos. A longa liquidação foi observada com juros abertos preliminares para baixo de 20.972 contratos. O spread de milho e trigo da CBOT é o mais apertado desde maio do ano passado.

O relatório semanal de Inspeções de Exportação do USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos) indicou que 751.278 toneladas de milho foram embarcados na semana que terminou em 21 de fevereiro. Isso caiu 42,93% em relação ao ano anterior e 20,24% abaixo da semana anterior. Porém, as inspeções no acumulado do ano ainda estão 38,48% acima do ano anterior.

Já Jessie Scott da Successful Farming pontua que, embora no final de semana, o presidente Donald Trump tenha anunciado que houve progresso significativo nas negociações comerciais entre EUA e China, o mercado não ficou muito impressionado.

“Nenhum desses mercados é realmente impressionante, em resposta à retração da tarifa. As pessoas queixam-se de que não existe uma linha do tempo, e também sabemos que as questões mais difíceis - proteções à propriedade intelectual e reformas econômicas chinesas - ainda precisam ser negociadas”, diz Jack Scoville, analista sênior de mercado da PriceGroup.

B3

Já na bolsa brasileira, os preços do milho apresentam movimentações misturadas e próximas da estabilidade nesta terça-feira. As principais cotações registram flutuações entre 0,39% negativo e 0,22% positivo por volta das 12h11 (horário de Brasília). O vencimento março/19 era cotado a R$ 42,27, o maio/19 valia R$ 39,99 e o julho/19 era negociado por R$ 36,05.

A Agrifatto Consultoria divulgou que, a oferta limitada desta matéria-prima continua pressionando para cima suas referências. O último indicador do CEPEA subiu 1,63% para R$ 42,33/sc.

Nos últimos 30 dias, o indicador da Esalq acumula alta de 8,87% e recupera os níveis de preços registrados no início de junho/18. Na esteira, os contratos futuros também continuam com cotações firmes, especialmente os contratos mais curtos. 

Já as exportações com o cereal perderam fôlego, tanto pela oferta menor neste período, como pelo foco voltando-se para a soja. E assim, as exportações com milho recuaram 46% ante o mês anterior, somando 1,65 milhão de toneladas nesta primeira metade de fevereiro.

Entretanto, ainda se registra 48% superior ao mesmo período do ano passado.

Tags:
Por: Guilherme Dorigatti
Fonte: Notícias Agrícolas

Nenhum comentário